Pai de Henry pede à Justiça devolução de celulares para reaver fotos

Defesa de Leniel explica que os celulares "possuem uma grande quantidade de fotos de Henry Borel" e são o "único arquivo pessoal do pai"

atualizado 30/06/2021 12:01

Henry Borel Medeiros com o pai, Leniel Borel de Almeida JúniorReprodução redes sociais

Rio de Janeiro – Pai do menino Henry Borel, de 4 anos, o engenheiro Leniel Borel de Almeida solicitou à Justiça a devolução dos aparelhos celulares apreendidos durante a investigação. Ele diz que pretende reaver as fotos do filho que estão nos três equipamentos recolhidos pela polícia.

Henry foi morto no apartamento onde morava com a mãe, Monique Medeiros, e o padrasto, vereador  vereador Jairo dos Santos Souza Junior (sem partido). O casal está preso desde o dia 8 de abril acusado pela tortura e morte do menino.

De acordo com o jornal Extra, o pedido foi encaminhado à 2ª Vara Criminal do Rio. No texto, a defesa de Leniel explica que os celulares “possuem uma grande quantidade de fotos de Henry Borel” e são o “único arquivo pessoal do pai”. Ainda segundo a petição, a ausência do conteúdo vem “causando imenso sofrimento psicológico”.

Os equipamentos foram apreendidos pela Polícia Civil uma semana após a morte de Henry, em cumprimento a mandado de busca e apreensão que também teve como alvos os endereços da mãe e do padrasto da criança. O advogado de Leniel alega que ele não é réu no processo e que as defesas dos acusados já tiveram acesso aos conteúdos.

O plenário da Câmara do Rio vota nesta quarta-feira (30/6) a cassação do mandato do vereador, que já teve seu registro no Conselho Regional de Medicina interditado temporariamente, o que o impede de exercer a profissão. Caso a perda do mandato de Jairinho seja confirmada, o suplente, Marcelo Diniz Anastácio (Solidariedade), assume a vaga. Jairinho responde ainda por mais dois casos de tortura contra filhos de ex-namoradas.

0

Últimas notícias