“Osso é vendido, e não dado”: placa é retirada de açougue após fiscalização

Procon classificou como "desumano" cobrar pelo produto que tem substituído a carne no prato de famílias brasileiras

atualizado 08/10/2021 16:04

Osso vendido em FlorianópolisRedes sociais/Reprodução

A placa sobre a venda de ossos de boi em um estabelecimento de Santa Catarina, que gerou polêmica nesta semana, foi retirada pelo comerciante de Florianópolis após orientação da Procuradoria de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon).

No cartaz do açougue constava: “Osso R$ 4,00 Kg. Osso é vendido e não dado”. Segundo o diretor do órgão, Tiago Silva, uma visita no local foi feita na terça-feira (5/10) e, imediatamente, o cartaz foi desafixado do local.

Saiba mais no RD News, parceiro do Metrópoles.

Últimas notícias