Novo ministro do TST toma posse em cerimônia com Bolsonaro e Moraes

Sergio Pinto Martins é o novo ministro da Corte. Outros três ministros, que iniciaram o trabalho na pandemia, ratificaram as posses

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) recebeu um novo ministro e ratificou a posse de outros três, em  cerimônia realizada nesta quinta-feira (19/5). O desembargador Sergio Pinto Martins, do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (SP), assume o cargo a partir da cerimônia. Ele ocupa a vaga decorrente da aposentadoria do ministro Alberto Bresciani. O evento foi conduzido pelo presidente do TST, Emmanoel Pereira.

Junto com o ministro, também tomaram posse, de forma solene, a ministra Morgana Richa e os ministros Amaury Rodrigues e Alberto Balazeiro, já efetivados de forma administrativa durante a pandemia da Covid-19.

A partir de agora, o ministro Sergio Pinto Martins vai integrar a 2ª Turma do TST e a ministra Morgana Richa passa a atuar na 5ª Turma. Já o ministro Amaury Rodrigues permanece na 1ª Turma e o ministro Alberto Balazeiro na 3ª Turma do Tribunal.

O nome de Sérgio Pinto foi sabatinado e aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal em 5 de abril, no mesmo dia em que foram indicados os novos membros para compor o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). No dia seguinte, os nomes foram ratificados em plenário.

Encontro de Bolsonaro e Moraes

No evento, Bolsonaro e o ministro Alexandre de Moraes se encontraram. Sob aplausos e perplexidade do público, o presidente e o ministro apertaram mãos e se cumprimentaram.

O encontro ocorre em meio a uma queda de braço entre Bolsonaro e Moraes. Eles apertaram as mãos um dia após Bolsonaro ter uma ação rejeitada no STF contra Moraes. Na segunda-feira (16/5), o chefe do Executivo federal apresentou à Suprema Corte um pedido de investigação contra o ministro por suposto “abuso de autoridade”. O relator da ação, ministro Dias Toffoli negou.

Alexandre de Moraes é relator do inquérito das fake news e Bolsonaro alega “perseguição” contra ele pelo fato de seu nome ser mantido como investigado.

1/6
Igo Estrela/Metrópoles
Igo Estrela/Metrópoles
Igo Estrela/Metrópoles
Igo Estrela/Metrópoles
Igo Estrela/Metrópoles
O presidente Jair Bolsonaro e o ministro Alexandre de Moraes

Além disso, o presidente concedeu perdão ao deputado Daniel Silveira (PTB) condenado a 8 anos e 9 meses de prisão, em ação relatada por Moraes e referendada pelo plenário.

Na cerimônia formal, realizada no TST, ambos foram obrigados a se encontrar. Bolsonaro assistiu à cerimônia e, no fim, levantou-se e cumprimentou os presentes.

Em seu caminho, parou para falar com Moraes. O ministro se levantou da cadeira na qual estava e apertou a mão de Bolsonaro. Ambos trocaram um cumprimento.

Veja o momento: 

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.