Nas ruas do DF, Bolsonaro faz enquete: o povo tem que trabalhar?

Presidente visitou, de surpresa, comerciante de Taguatinga, onde gravou diversos vídeos com apoiadores. “O Brasil não pode parar”, disse

Um dia após as recomendações do ministro da Saúde, Henrique Mandetta, sobre o enfrentamento ao coronavírus no país, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), resolveu ir às ruas e fez um corpo a corpo com comerciantes do DF.

“Na ideia de vocês, o povo tem que trabalhar ou não?”, questionou o chefe do Executivo, em um dos vídeos que circula nas redes sociais. Em coro, os apoiadores responderam que sim, argumentando que o Brasil não pode parar. A gravação termina com o público, mais uma vez, o chamando de “mito”.

Sem máscara, Bolsonaro teve contado direto com diversas pessoas que se aglomeravam em Taguatinga, região administrativa localizada a aproximadamente 25km do Palácio do Planalto.

Veja vídeo

“Não marquei a minha vinda aqui, tô parando de forma aleatória, colhendo o sentimento por parte da população”, disse, em um mercado de carnes, em Taguatinga.

“Eu tô vendo o povo, perguntando a questão de demissões, o que eles acham, se estão com medo do vírus ou não. Não tenho conversado com muita gente, né, mas o desemprego aqui tem apavorado as pessoas. Elas não tem o que comer em casa”, prosseguiu.

Questionado se estava descumprindo as orientações do próprio Ministério da Saúde, ele disse: “Eu não vou desautorizar quem quer que seja, mas esse isolamento horizontal vai gerar um problema seríssimo, que levará anos para ser resolvido”.

O Brasil acumula 114 mortes e 3.904 casos confirmados de coronavírus, segundo o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde.

“Essa luta toda não é para evitar o contágio, porque ele virá, é pra diminuir a onda. Esse esforço está sendo feito, mas eu acho, na minha opinião, que o preço a ser pago lá na frente será enorme para o Brasil.”