Mulher vira catadora de piolho para ganhar renda extra

Ao observar que os remédios não estavam fazendo efeito, Kelly Santana identificou uma técnica eficaz para o tratamento: detergente de coco

atualizado 02/03/2020 16:37

Reprodução/ Redes Sociais

O emprego de Kelly Santana viralizou nas redes sociais na última semana. Há quatro anos, a autônoma, que mora em Praia Grande (SP), precisou pensar em algo que garantisse uma renda extra no final do mês: a ideia de catar piolho de crianças surgiu pela experiência com os próprios filhos. As informações são do site G1.

“Também trabalho como babá e teve uma vez que cuidei de uma criança que estava com muito piolho. Em conversa com a mãe, ela disse que não tinha tempo para tirar e pediu minha ajuda”, relembra.

Ao observar que os remédios não estavam fazendo efeito, Kelly identificou uma técnica eficaz para o tratamento: detergente de coco. “Estava passando por necessidades em casa e só o trabalho de babá não estava dando conta. Então pensei em catar piolho”.

Segundo a autônoma, ela começou a divulgar o trabalho apenas entre conhecidos e amigos, mas recentemente teve coragem de publicar na internet para ganhar maior visibilidade.

“O difícil é que muitas pessoas têm preconceito e zombam, mas é um trabalho de respeito. Já me disseram que é nojento, para eu arrumar um emprego melhor, mas não vejo problema, acho um trabalho digno”, afirma.

Os atendimentos são feitos em domicílio e o preço varia entre R$ 50 e R$ 100, dependendo do valor do transporte, da quantidade de cabelo e do tempo que levará para concluir o serviço.

Últimas notícias