Mulher que se passava por médica é solta ao pagar fiança de R$ 10 mil

Segundo o delegado Celso Ribeiro, as investigações continuam. Ela foi presa por PMs ao ser denunciada pela médica de quem ela usa os dados

atualizado 22/07/2021 17:21

Bruna Carla Oliveira Sozim, Acusada de ser falsa médicaReprodução

Rio de Janeiro – Acusada de se passar por outra médica, Bruna Carla Oliveira Sozim foi solta pela Justiça ao pagar fiança de R$ 10 mil, no domingo (18/7).  Ela foi presa em flagrante por policiais militares ao ser denunciada pela verdadeira médica em um hospital particular em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, na quarta-feira (14/6).

O flagrante foi feito pela verdadeira médica que teve o nome e o carimbo “roubados” e acionou a Polícia Militar.

Veja o vídeo:

“Ela foi autuada por  falsidade ideológica e exercício ilegal da medicina. As investigações continuam. Queremos saber quantas pessoas ela atendeu e quanto tempo atuava no hospital”, afirmou o delegado da 52ª DP (Nova Iguaçu), Celso Ribeiro.

Além de impor o pagamento de fiança, o juiz Antonio Luiz da Fonsêca Lucchese determinou que ela não deve manter contato com a médica que a denunciou e nem voltar a unidade de saúde.

Na delegacia, o diretor do hospital informou que Bruna disse que se formou na Bolívia e que não fez a prova para validar o diploma e  poder atuar no Brasil.

Em nota, o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) ressaltou que casos relacionados à atuação de falsos médicos são criminosos e devem ser investigados pela Polícia. O conselho reforçou a importância da verificação da documentação antes de realizar qualquer tipo de contratação, seja para atuar na rede pública ou privada.

Afirmou ainda que, devido ao aumento de casos este ano sobre pessoas se passando por médicos, iniciou uma campanha alertando aos médicos para se atentarem quanto ao seu CRM e quais providências deverão ser tomadas, se suspeitarem de alguma irregularidade.

Últimas notícias