“Muito desequilibrada”: vereadora denuncia ataques machistas em sessão

Parlamentares de Itauçú (GO) atacaram Kênia Pedroso (DEM) em plenário, durante discussão de criação de taxa do lixo no município

atualizado 11/10/2021 9:38

Vereadora denuncia que sofreu ataques machistas de colegas durante sessão na Câmara de Itauçu, GoiásArquivo pessoal/Kênia Pedroso

Goiânia – Uma vereadora denunciou que sofreu ataques machistas de dois colegas durante uma sessão da Câmara Municipal de Itauçú, a cerca de 70 quilômetros de Goiânia. Vídeos mostram o momento em que um vereador a chama de “desequilibrada”, e o outro diz que “preferiria mil vezes debater com um homem”.

De acordo com as imagens, a vereadora Kênia Pedroso (DEM) foi alvo de ataques dos vereadores Betão (PSD) e Luisinho (Republicanos), na sexta-feira (8/10), durante discussão de criação de taxa do lixo no município, que teve voto contrário dela.

Veja o vídeo:

“O que a vereadora está falando aí demonstra que ela está muito desequilibrada”, disse Betão, durante a sessão na câmara.

Em seguida, segundo os vídeos, Luisinho também fez declarações machistas.

“Que seja mulher ou homem, eu preferiria mil vezes que fosse um debate com homem. Seria melhor. Eu fico constrangido quando tem que debater com uma vereadora mulher”, disse.

Única mulher

Segundo Kênia, os colegas não gostaram de ela ter votado contra o projeto da cobrança da taxa de lixo no município. Após os comentários, a vereadora disse que teve de sair da sessão.

“Eu tive que sair da sessão, porque não tinha possibilidade de eu permanecer. Agora, me tratarem desse jeito porque eu sou a única mulher na câmara? Da maneira como eu respeito a opinião de todos, todos também têm que respeitar a minha opinião”, disse.

Indignada com as declarações dos vereadores, Kênia ressaltou que tem o direito de manifestar sua opinião, assim com os demais colegas.

“Disseram que eu não estou preparada para ser vereadora, que eu sou ‘desequilibrada’ e isso é muito ruim, só pelo fato de eu ter votado. Eu tenho a minha opinião, eu tenho o meu direito. Foi muito ruim tudo que aconteceu”, afirmou.

“Tem espinhos”

Betão disse que chamou a vereadora de desequilibrada porque ela decidiu abandonar a sessão e começou a chorar depois que os outros vereadores não concordaram com o que ela disse.

“Quando nós falamos que ela não estava preparada para ser vereadora, queríamos dizer que aqui não é só flores, que aqui tem espinhos. A taxa do lixo é polêmica, mas não fomos nós que criamos”, afirmou.

Luisinho, por sua vez, admitiu que se exaltou durante a discussão, mas, segundo ele, não houve intuito de ofender alguém. “Tenho respeito e carinho por todo ser humano, ao ponto que Deus me deu a honra de servir como vereador”, disse.

A Câmara Municipal de Itauçú não se manifestou sobre os ataques. A vereadora disse que não registrou nenhuma denúncia formal sobre o caso, mas considerou muito ruim a forma como foi tratada.

Últimas notícias