MP quer responsabilizar quem deixou aglomeração em velório de pastor em MT

Promotor Alexandre Guedes disse que permissão que cinco mil pessoas reunissem em despedida de líder aponta para "crime de saúde coletiva"

atualizado 28/01/2021 14:31

MPE-MT

O Ministério Público do Estado (MPE) de Mato Grosso abriu um inquérito para apurar quem foi o responsável pela aglomeração de cinco mil pessoas no sepultamento do pastor da Assembleia de Deus, Sebastião Rodrigues de Souza, 89 anos, morto em julho de 2020 com a infecção da Covid-19. 

O promotor de Justiça Alexandre Guedes, autor da investigação, diz que a permissão para que milhares de pessoas se concentrassem em tempos de pandemia pode ser caracterizada como “crime contra a saúde pública”. 

Leia mais em O Livre, parceiro do Metrópoles.

Mais lidas
Últimas notícias