*
 

Bruna Jenifer Cirilo Barbosa, de 21 anos, que teve 80% do corpo queimado pelo marido, morreu nessa quarta-feira (12/9) na Santa Casa de Santos, em São Paulo. A jovem estava internada no hospital desde o fim de agosto.

Segundo a polícia, o principal suspeito do caso continua sendo o marido de Bruna. A jovem se mudou para a cidade há quatro meses com a promessa de que o ex conseguiria um emprego para ela. No entanto, descobriu que ele estava envolvido com o tráfico e era procurado pela polícia. O rapaz foi preso e Bruna passou a ter outro relacionamento, agora, com o suspeito de ter ateado fogo nela.

Segundo a Polícia Militar, os dois já haviam brigado porque Bruna mantinha contato com o antigo namorado. A descobrir uma tatuagem com o nome do ex no peito, a discussão foi mais violenta. No entanto, em depoimento, ele negou que tenha cometido o crime e disse que a jovem acendeu um cigarro ao lado de um galão com gasolina, ocasionando o incêndio.

O lauda da perícia, segundo o UOL, ainda não foi concluído para determinar a causa do incêndio. Além disso, a polícia espera pelo depoimento da mãe da garota, que mora na capital e ainda não conseguiu ir até o litoral.