Morre, aos 81 anos, o ator e diretor Emílio Di Biasi

Segundo informações divulgadas por amigos nas redes sociais, ele lutava há pelo menos sete anos contra o mal de Alzheimer

atualizado 27/09/2020 21:17

Reprodução

Morreu, neste domingo (27/9), o ator e diretor paulistano Emílio Di Biasi. Segundo informações divulgadas por amigos nas redes sociais, ele lutava há pelo menos sete anos contra o mal de Alzheimer.

Nascido em 1939, ele estreou nos palcos oficialmente em 1961, com o Teatro Oficina, em montagem do texto José, do Parto à Sepultura, de Augusto Boal, sob direção de Antônio Abujamra.

Dois anos depois, ele fundou o Grupo Decisão, ao lado de Abujamra, Antônio Ghigonetto, Berta Zemel, Wolney de Assis e Lauro César Muniz. Dessa época, peças como O Inoportuno, de Harold Pinter, estiveram entre suas atuações mais marcantes.

Nos anos seguintes, ele teve contato, como estagiário, com grupos como Piccolo Teatro di Milano e Berliner Ensemble. O encenador e dramaturgo americano Bob Wilson firmou-se como uma de suas principais referências.

Entre os anos 1980 e 1990, Emílio fez participações no cinema, incluindo três filmes de Carlos Reichenbach. Ao longo da carreira, comandou oficinas de atores da Rede Globo, codirigindo também, na mesma emissora, novelas como Renascer e O Rei do Gado.

Por sua atuação na peça Um Passeio no Bosque, de Lee Blessing, em 1999, Emílio ganhou o Prêmio Shell de melhor ator.

Últimas notícias