Ministro da Defesa diz que respeita a Carta Democrática Interamericana

Paulo Sérgio participa da 15ª Conferência de Ministros da Defesa das Américas. O evento teve início nesta terça-feira (26/7), em Brasília

atualizado 26/07/2022 14:11

Ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, realiza abertura da XV Conferência de Ministros de Defesa das AméricasRafaela Felicciano/Metrópoles

O ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, disse, durante a 15ª Conferência de Ministros da Defesa das Américas, na manhã desta terça-feira (26/7), que respeita as diretrizes da Carta Democrática Interamericana. O documento determina, entre outras coisas, que “os povos da América têm direito à democracia e seus governos têm a obrigação de promovê-la e defendê-la”.

Durante a fala, o ex-comandante do Exército brasileiro ainda reforçou a intenção, por parte do governo, de assinar a Declaração de Brasília, que reforçará o intuito da Carta Democrática Interamericana.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
0

“Da parte do Brasil, manifesto respeito à carta da Organização dos Estados Americanos (OEA), à carta democrática americana e aos seus valores, princípios e mecanismos”, pontuou Nogueira.

O Brasil sedia, nesta semana, entre 25 e 29 de julho, a XV Conferência de Ministros da Defesa das Américas (XV CMDA), fórum que reúne os países do continente no setor de defesa e segurança. A cerimônia ocorre em Brasília (DF).

Na programação, está prevista a apresentação dos resultados das discussões dos Grupos de Trabalho (GTs) realizados no decorrer deste biênio: ciberdefesa e ciberespaço; mulher, paz e segurança; e cooperação em assistência humanitária e socorro em casos de desastre.

O Brasil, anfitrião do evento, propôs ainda a discussão sobre o papel das Forças Armadas frente a fluxos migratórios. O Exército coordena a Operação Acolhida, que recebe refugiados venezuelanos em Roraima.

Mais lidas
Últimas notícias