Operários das obras de modernização do Jardim Zoológico do Rio de Janeiro (RioZoo) se depararam, nesta sexta-feira (5/4), com objetos históricos que remontam ao passado imperial da Quinta da Boa Vista, parque onde está localizado o RioZoo, na zona norte da cidade. Classificado de tesouro arqueológico pela Prefeitura do Rio, os 30 mil itens encontrados incluem pratos, talheres, broches e outros pertences de empregados da Família Imperial.

Além do zoológico, a Quinta da Boa Vista abriga o Museu Nacional, cuja sede é o palácio que serviu de moradia para a família real portuguesa e para Dom Pedro I e Dom Pedro II durante o Império, que durou de 1822 a 1889.

O local onde foi construído o zoológico era uma vila de empregados da realeza, que deu lugar a um quartel após a Proclamação da República.

Segundo a prefeitura, que administra o zoológico, as peças encontradas serão entegues ao Museu Nacional e a estrutura do antigo quartel será incorporada ao roteiro de visitação do zoológico, uma área onde será instalada também a Biosfera dos Primatas, Ursos e Animais Aquáticos. A previsão é que a atração seja aberta ao público no fim do ano.

Embora tenham pertencido a empregados, os itens encontrados incluem objetos de valor, como cerâmicas, que provavelmente foram doados pelo palácio.

Pela importância do acervo, o trabalho arqueológico vem sendo acompanhado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Obras
O zoológico do Rio de Janeiro está em obras desde junho do ano passado e está parcialmente aberto a visitação. Apenas uma área do parque está disponível para os visitantes, aos fins de semana. A previsão é que a reinauguração do RioZoo ocorra em janeiro do ano que vem.