*
 

Mergulhadores da Marinha e dos Bombeiros procuram nove pessoas que sumiram no Rio Amazonas, na quarta-feira (2/8), após acidente entre um navio cargueiro e um comboio de nove balsas, no Pará. A Capitania dos Portos do município informou que esta é a maior tragédia nas águas do estado desde 1981, em número de desaparecidos ou mortos. As informações são da Folha de S. Paulo.

A colisão ocorreu por volta das 4h30 entre os municípios de Óbidos e Oriximiná, no oeste paraense. A Marinha informou que o comboio de balsas, pertencente à empresa Transportes Bertolini Ltda., partiu de Porto Velho (RO), com carregamento de milho, rumo a Santarém (PA).

As balsas bateram contra o navio da Mercosul Santos. A embarcação cargueira saiu do Porto de Suape (Pernambuco) carregada de contêineres com destino a Manaus (AM).

A Marinha informou também que todos os desaparecidos estavam no comboio e que a maioria deles dormia nos camarotes no momento do acidente. Dois tripulantes das balsas, identificados como César Lemos da Silva e Euclinger da Silva Costa, foram resgatados com vida e encaminhados a Santarém.

A Transportes Bertolini divulgou o nome de sete dos nove tripulantes desaparecidos: Carlos Eduardo Bueno de Souza; Cleber Rodrigues Azevedo; Dárcio Vânio Rego; Dick Farney de Oliveira; Ivan Furtado da Gama; Juraci dos Santos Brito e Wandel Ferreira de Lima. A companhia acrescentou que aguarda abertura do inquérito da Marinha para auxiliar na investigação.

A Mercosul afirmou, em nota, que ajuda as autoridades locais e que seus tripulantes passam bem. A empresa comunicou que os ocupantes do navio se preocuparam com a segurança dos integrantes das balsas.

 

 

COMENTE

acidenteParáBalsasnavio cargueiro
comunicar erro à redação

Leia mais: Brasil