Mãe chora ao ver foto “atual” de filha que está sumida há 10 anos

Procedimento de "envelhecimento" de imagem, da Polícia Civil, permitiu que Luciene visualizasse como a criança estaria atualmente

atualizado 22/11/2019 13:59

Reprodução/O Globo

A filha da supervisora hospitalar Luciene Pimenta Torres, de 58 anos, desapareceu a caminho da padaria, há 10 anos, quando tinha apenas nove anos. Desde então, a mãe não passa um dia sem procurá-la. Nessa quinta-feira (21/11/2019), Luciene foi à Polícia Civil, que simulou o “envelhecimento” da pequena. Atualmente, ela teria 20 anos. A mãe não conteve as lágrimas. A informação é do site O Globo.

Ao chegar no Núcleo de Envelhecimento da Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA), Luciene encontrou a delegada Ellen Souto, titular da especializada. Com os olhos marejados, elas se abraçaram e foram para a sala onde foi feito o procedimento.

Lá, diante do computador, Luciene ficou em silêncio, tirou os óculos de grau e começou a chorar. “Tá linda a minha menina. O meu bebê cresceu e eu não vi nada. Por que fazem isso com a gente? Por que?”, perguntou a mãe. “Eu acho que essa é a maior violência contra a mulher. Não existe outra. Não existe”, completou.

As imagens envelhecidas são divulgadas pela DDPA na aba de “pessoas desaparecidas” da Interpol e são direcionadas para as inteligências de países como Portugal, Espanha, Itália e Suíça, que são rotas de mulheres para fins de exploração sexual.

Últimas notícias