“Lockdown jamais”, diz Fabrício Queiroz ao receber vacina contra Covid

Investigado pelo suposto esquema de “rachadinhas” na Alerj, o ex-assessor de Flávio Bolsonaro recebeu a primeira dose da vacina nesta terça

Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), publicou em suas redes sociais, na manhã desta terça-feira (11/5), um vídeo no qual recebe a primeira dose da vacina contra a Covid-19. As informações são da coluna Juliana Dal Piva, do UOL.

Na publicação, Queiroz declarou: “Vacina sim, lockdown jamais. Vamos trabalhar”.

Na capital do Rio de Janeiro, que não foi afetada pela decisão do ministro Ricardo Lewandoswki, do Supremo Tribunal Federal (STF), policiais militares estão autorizados a tomar a vacina contra a Covid-19.

O magistrado suspendeu decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) sobre um decreto estadual que antecipou a vacinação de policiais e professores. No entanto, as prefeituras seguem decretos municipais. Por conta disso, a decisão do ministro só afetou diretamente as doses que estavam sendo aplicadas pelo estado.

1/6
Queiroz foi motorista da família Bolsonaro
Queiroz com o senador Flávio Bolsonaro e
O ex-assessor Fabrício Queiroz é investigado pelo Ministério Público do Rio por suposta participação no esquema de rachadinha.
Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) e o seu ex-chefe de gabinete na Assembleia Legislativa do Rio, Fabrício Queiroz
Fabrício Queiroz, nome ligado à família Bolsonaro
Reprodução/SBT
Prisão de Queiroz

Fabrício Queiroz passou cerca de um ano em prisão domiciliar, investigado pelo suposto esquema de “rachadinhas” na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Ele foi liberado em março, por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Ele foi preso em Atibaia, na casa de Frederick Wassef, um dos advogados do senador Flávio Bolsonaro, em junho do ano passado. Márcia Aguiar, sua esposa, chegou a ficar foragida por mais de um mês após a prisão ser decretada.

Agora, o casal responde em liberdade à denúncia apresentada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) contra ele e o filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao Órgão Especial do Tribunal de Justiça do RJ.