Lagarto-escrivão: conheça novo réptil descoberto no Rio São Francisco

A descoberta se deu em 2016, mas a confirmação oficial ocorreu esse ano por meio de professor da USP

O largato-escrivão é a nova espécie de réptil exclusiva do território brasileiro. Ele foi descoberto em 2016 pelo biólogo e herpetólogo Thiago Marcial de Castro, mas só teve sua oficialização em abril deste ano.

O profissional encontrou o exemplar durante um trabalho de campo, em novembro de 2016, no município de Buritirama, interior da Bahia, perto do Rio São Francisco.

“A maior parte das espécies descritas dos lagartos que existem é da margem do Rio São Francisco e esse animal também. Trata-se de um rio largo, então as extremidades formam campos de dunas, habitados por esses bichos”, explicou ao Metrópoles.

Castro contou que, quando se deparou com o animal, houve a suspeita de que era uma espécie desconhecida pela ciência. A confirmação ocorreu após criteriosa análise de pesquisadores, confirmada pelo professor Miguel Trefaut Rodrigues, da Universidade de São Paulo (USP).

1/2
Expedição para analisar a espécie
Lagarto-escrivão

O largato-escrivão, nome popular do Calyptommatus frontalis, é uma espécie ápode (sem a pata anterior), possui patas vestigiais traseiras e pode medir até 7 centímetros de comprimento. Segundo o biólogo, o que a diferencia das outras do gênero é a escama a mais na cabeça, além da genética.

Por ser separado por barreiras geográficas, esse réptil, encontrado somente em dunas de areia, é “extremamente restrito a uma pequena área, não ocorrendo em nenhum outro lugar”.

Após o achado, organizou-se uma nova expedição para a região, com o intuito de coletar mais indivíduos para iniciar o processo de descrição da espécie. Ao todo, a classificação demorou aproximadamente quatro anos.