Lula vira réu na Lava Jato, pela 4ª vez, acusado de lavagem de dinheiro

Denúncia acusa ex-presidente de receber propinas da empreiteira como se fossem doações oficiais ao Instituto Lula

atualizado 23/10/2020 21:45

Michael Melo/Metrópoles

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) virou réu pela quarta vez no âmbito da Operação Lava Jato. O juiz Luiz Antonio Bonat, da 13ª Vara Federal de Curitiba, recebeu nesta sexta-feira (23/10) a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o petista e mais três pessoas por lavagem de dinheiro na Petrobras.

Segundo o documento, Lula era “comandante e principal beneficiário do esquema de corrupção que também favorecia as empreiteiras cartelizadas”, como a Odebrecht. O ex-ministro Antonio Palocci e Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, também são réus no processo.

Veja a íntegra da decisão:

Lula by Metropoles on Scribd

A ação afirma que Lula “teria dado aval para que importantes diretores da Petrobras fossem nomeados para atender aos interesses de arrecadação de propinas em favor dele próprio e de outros integrantes de PT, PP e PMDB, com o envolvimento de outros funcionários públicos de elevado status na administração pública”.

Entre os mencionados estão os ex-ministros José Dirceu, da Casa Civil, e Palocci, da Fazenda. Segundo o MPF, ele teria atuado na arrecadação e no gerenciamento de propina para o PT.

“Os próprios recibos das doações feitas pela Construtora Norberto Odebrecht ao Instituto Lula são indícios dos crimes imputados aos acusados. Tais evidências bastam, em um juízo de cognição sumária, para o recebimento da denúncia, eis que detém ela lastro probatório mínimo em desfavor dos acusados”, diz trecho da decisão da Justiça de Curitiba.

Últimas notícias