Justiça dá 72h para União explicar sigilo de 100 anos no cartão de vacinação de Bolsonaro

Decisão é da juíza federal Adverci Rates Mendes de Abreu e tem origem em pedido feito pela presidente do PT, Gleisi Hoffmann

A Justiça Federal deu prazo de 72 horas para que a União justifique o sigilo de até 100 anos decretado ao cartão de vacinação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A decisão é da juíza federal Adverci Rates Mendes de Abreu e parte de pedido feito pela presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), a deputada federal Gleisi Hoffmann.

Na justificativa, a magistrada afirma que a tutela de urgência só pode ser concedida liminarmente ou após a justificação prévia. Diante disso, defende adotar “cautela em se ouvir previamente o lado demandado”. A decisão foi publicada às 18h30 dessa segunda-feira (11/1).

Confira o despacho na íntegra: 

ustiça Federal Da 1ª Região by Metropoles on Scribd

A informação da imposição do sigilo foi divulgada pela coluna do jornalista Guilherme Amado, da revista Época. Ao jornalista, a Presidência respondeu que os dados “dizem respeito à intimidade, à vida privada, à honra e à imagem” do presidente, o que teria embasado a imposição de sigilo ao material.

Bolsonaro tem questionado a eficácia e a segurança dos imunizantes contra a Covid-19 e dito que não vai se vacinar. “Não vou tomar a vacina e ponto final. Se alguém acha que a minha vida está em risco, o problema é meu e ponto final”, afirmou ele em 15 de dezembro.

Dias depois, ele questionou os efeitos colaterais no imunizante. “Lá na Pfizer, tá bem claro lá no contrato: ‘nós não nos responsabilizamos por qualquer efeito colateral’. Se você virar um chi… virar um jacaré, é problema de você, pô. Não vou falar outro bicho, porque vão pensar que eu vou falar besteira aqui, né? Se você virar super-homem, se nascer barba em alguma mulher aí ou algum homem começar a falar fino, eles não têm nada a ver com isso. Ou, o que é pior, mexer no sistema imunológico das pessoas”, disse.

O chefe do Executivo, que contraiu o vírus em julho, realizou exames nos meses anteriores para detectar a infecção, porém se recusou a mostrá-los. Em 13 de maio os resultados foram divulgados após determinação do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF).

1/17
Presidente sai às ruas do DF em meio à pandemia
O presidente ficou bastante tempo sem usar máscara, apesar da obrigatoriedade
Bolsonaro cumprimenta apoiador em frente ao Palácio do Planalto
Visita técnica do pres. Bolsonaro e Ronaldo Caiado às obras do Hospital de Campanha de Aguas Lindas
O presidente participou de vários atos públicos ao longo dos últimos meses
Hugo Barreto/Metrópoles
Bolsonaro provoca aglomeração em eventos públicos que tem realizado pelo país
Bolsonaro provoca aglomeração em eventos públicos que tem realizado pelo país
Bolsonaro tira foto com apoiadores
Chefe do Executivo em frente ao Planalto
Hugo Barreto/Metrópoles
Rafaela Felicciano/Metrópoles
Igo estrela/Metrópoles
Bolsonaro falou que os poderes são submissos ao povo
Bolsonaro sai para conversar com eleitores na porta do Palácio da Alvorada
Bolsonaro recebe abraço de crianças durante protesto em Brasilia
Bolsonaro sai para conversar com eleitores na porta do Palácio da Alvorada