Juíza manda governo Bolsonaro retirar campanha contra quarentena

A publicidade da União defende o fim do isolamento social. Caso a decisão não seja cumprida, a multa será de R$ 100 mil

A Justiça Federal do Rio de Janeiro determinou ao governo federal a suspensão da campanha O Brasil Não Pode Parar. A decisão é da juíza plantonista Laura Bastos Carvalho, com base em pedido do Ministério Público Federal (MPF).

A campanha do governo federal defende o fim do isolamento social por conta do coronavírus e a reabertura do comércio. De acordo com a juíza, a União deve retirar a propaganda de todos os veículos de comunicação, ou qualquer outro meio físico ou digital.

Estão incluídas na decisão qualquer mensagem sobre “‘comportamentos que não estejam estritamente embasados em diretrizes técnicas, emitidas pelo Ministério da Saúde, com fundamento em documentos públicos, de entidades científicas de notório conhecimento no campo da epidemiologia e da saúde pública’.

Caso o governo federal não cumpra a decisão, a multa é de R$ 100.000.

Campanha

A campanha publicitária foi lançada nessa quinta-feira (26/03)  para defender a flexibilização do isolamento social – que faz parte das ações de combate ao novo coronavírus – e retomada econômica. Também há previsão de vídeos institucionais. O valor da campanha não foi divulgado.

No Instagram, uma publicação feita no perfil do governo federal diz que “no mundo todo, são raros os casos de vítimas fatais do coronavírus entre jovens e adultos”.

“A quase totalidade dos óbitos se deu com idosos. Portanto, é preciso proteger estas pessoas e todos os integrantes dos grupos de risco, com todo cuidado, carinho e respeito. Para estes, o isolamento. Para todos os demais, distanciamento, atenção redobrada e muita responsabilidade. Vamos, com cuidado e consciência, voltar à normalidade”, diz o texto.