*
 

O procurador da República Deltan Dallagnol, da força-tarefa da Lava Jato, promoveu o abaixo assinado a favor da prisão após condenação em segunda instância, em sua página oficial no Twitter, neste domingo (1º/4). O manifesto da ONG Observatório Social já conta com mais de 31 mil assinaturas e será entregue nesta segunda-feira (2) aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), dois dias antes do julgamento do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O petista foi condenado a 12 anos e um mês em segunda instância no caso do triplex do Guarujá (SP).

 

Ele também afirmou que quarta-feira (4), dia do julgamento de Lula, é um “dia D” contra a corrupção na Lava Jato e ele estará de jejum, oração e “torcendo pelo país”. “Uma derrota significará que a maior parte dos corruptos de diferentes partidos, por todo o país, jamais será responsabilizada, na Lava Jato e além. O cenário não é bom.”

Comentando o artigo “Dia da Marmota” da colunista Vera Magalhães no Estadão, o integrante da força-tarefa da Lava Jato disse que é preciso de novas medidas contra a corrupção. “Para virar a página, precisamos vencer a impunidade e de reformas quefechem as brechas por onde o dinheiro público escorre, como as 10 Medidas ou, melhor ainda, as Novas Medidas contra a Corrupção.”

Dallagnol ainda recomendou a leitura do artigo do cineasta José Padilha, no jornal Folha de S. Paulo, sobre sua mais nova série: O Mecanismo. Segundo ele, o desafio dos brasileiros é impor nas eleições deste ano a “maior derrota da história” a esse mecanismo. A produção trata dos esquemas recentes de corrupção no país e da Operação Lava Jato.