Cocaína em avião da FAB: militares e esposa de sargento são presos

Operação foi realizada na manhã desta quinta-feira (18/3). Manoel Silva Rodrigues foi preso transportando 37 kg de cocaína em 2019

O Comando da Aeronáutica, com apoio da Polícia Federal (PF), prendeu, nesta quinta-feira (18/3), quatro pessoas que estariam envolvidas no tráfico de 37 kg de cocaína achados em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), em junho de 2019, na Espanha.

O grupo teria ajudado o sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues a traficar a droga – o avião, usado em apoio à Presidência da República, saiu do Brasil e pousou na Espanha. Agora, foram presos outros três militares, além da esposa de Manoel. São eles:

  • Tenente-coronel Alexandre Augusto Piovesan;
  • 2º sargento Márcio Gonçalves de Almeida;
  • 2º sargento Jorge Luis da Cruz Silva;
  • Wikelaine Nonato Rodrigues (esposa).

Foram apreendidos ainda computadores, celulares e documentos dos militares e da esposa presos, e também da ex-esposa do sargento. Um ex-soldado da Aeronáutica, também com prisão decretada e que é cunhado do militar preso na Espanha, não foi encontrado.

Os mandados de prisão atendem pedido da 2ª Procuradoria de Justiça Militar em Brasília. Já a decisão foi proferida pela 2ª Auditoria da 11ª Circunscrição Judiciária Militar Justiça Militar da União.

1/4
Cocaína apreendida em avião da FAB, na Espanha, em junho de 2019
Cocaína apreendida em avião da FAB, na Espanha, em junho de 2019
Cocaína apreendida em avião da FAB, na Espanha, em junho de 2019

Um pedido de desarquivamento do Inquérito Policial Militar (IMP) solicitado pelo Ministério Público Militar (MPM) em Brasília também foi deferido pelo juiz Federal da Justiça Militar, em razão de novas provas surgidas a partir de quebras de sigilo telefônico e telemático.

O MPM informou que o material revela o provável envolvimento de outros militares da Aeronáutica e de civis em esquema de tráfico ilícito de entorpecentes.

“Os novos elementos surgidos evidenciam que, pelo menos em duas oportunidades, no dia 30 de abril de 2019 e 25 de junho de 2019, quando foi preso, o sargento transportou considerável quantia de substâncias entorpecentes para Madrid e Sevilha, na Espanha”, esclareceu a procuradoria, em nota.

Também surgiram fortes indícios do envolvimento de outros militares na prática ilícita de transporte de substâncias entorpecentes para o exterior.

A denúncia contra Manoel Silva Rodrigues foi recebida, e o militar responde a processo por tráfico internacional de drogas, com os agravantes por ter praticado o crime no exercício de suas funções públicas no exterior. Ele morava em Brasília.

Em nota, a Força Aérea Brasileira (FAB) reiterou que atua para coibir irregularidades e que “repudia condutas que não representam os valores, a dedicação e o trabalho do efetivo em prol do cumprimento de sua missão institucional”.