Jovem vai a júri em Goiás por matar ex com facadas até na boca

Rapaz de 19 anos é acusado de matar mulher depois de os dois tentarem reatar relacionamento em Goiânia, mesmo com várias brigas

A Justiça de Goiás decidiu mandar a júri popular um jovem de 19 anos acusado de matar a facadas a ex-namorada, com diversos golpes na boca, tronco, braços e todo o restante do corpo dela, em Goiânia.

Ele vai responder por feminicídio por motivo fútil, com emprego de meio cruel e em razão da condição do gênero dela.

Preso preventivamente, Wallifer Xavier Pereira é acusado de matar, no dia 14 de junho de 2020, a ex-namorada Adriana Massena dos Santos, de 31. A data do julgamento dele ainda será marcada pelo Tribunal do Júri de Goiânia.

A decisão é do juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 3ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida da comarca da capital.

1/11
Adriana Massena foi vítima de feminicídio em Goiânia em junho de 2020
Adriana Massena, vítima de feminicídio em Goiânia
Carro da Polícia Civil de Goiás
Polícia Civil de Goiás
Polícia Civil de Goiás
Entrada Tribunal de Justiça de Goiás
Sede do Tribunal de Justiça de Goiás
Tribunal de Justiça de Goiás

Em depoimento durante a fase de investigação, ele disse à Polícia Civil que teria agido apenas para se defender, depois de ser ameaçado e agredido por ela com capacete. No entanto, as investigações apontaram que o jovem matou a companheira porque não queria que ela fosse a uma festa.

Amava o jovem

Câmeras registraram o momento em que a vítima é golpeada várias vezes e, depois, arrastada pela rua. O processo conta ainda com depoimento de uma testemunha que relatou ter ouvido Adriana pedir para não ser morta e dizer que amava o rapaz.

De acordo com a decisão que mandou o jovem a júri popular, ele agiu friamente, ignorando o sofrimento físico da vítima, que, enquanto era golpeada, suplicou para que ele parasse.

O casal namorou por um ano e seis meses, mas, segundo o processo judicial, teria terminado devido ao histórico de agressões físicas praticadas pelo jovem.

Dia dos Namorados

Poucos dias antes do crime, segundo a investigação, os dois voltaram a se encontrar para tentar reconciliação. Eles até passaram o Dia dos Namorados juntos.

Na nova decisão, o juiz determinou que o réu também continue em prisão preventiva, que foi decretada no dia 22 de junho do ano passado.

O Metrópoles não localizou contato do advogado do jovem.