*
 

O jornalista José Negreiros, 68 anos, morreu nesta segunda-feira (12/2) após lutar contra um câncer. Natural de São Luís (MA), Negreiros se formou pela Universidade de Brasília (UnB) e fez carreira na capital e no Rio de Janeiro.

Com passagens por redações de veículos como O Estado de S. Paulo, O Globo, Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil e Correio Braziliense, o profissional já assessorou o senador Cristovam Buarque (PPS), atuou na empresa de análise e consultoria política Arko Advice e na Secretaria de Comunicação da UnB. Na universidade, ajudou na campanha da atual reitora, Márcia Abrahão.

O velório está marcado para as 11h desta terça-feira (13), na Capela 10 do Cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul. O sepultamento será às 14h30.

Negreiros era casado com a jornalista Luciana Bezerra e deixa três filhos.

Repercussão
À tarde, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) publicou nota de pesar. Confira a íntegra do documento:

“Negreiros foi um dos maiores jornalistas que Brasília e o Brasil conheceram. Lúcido, sagaz, era capaz de construir análises políticas dificilmente superadas pelo fato, tal sua capacidade de interpretar o jogo político. Entendia de comunicação como poucos. Compartilhei de sua amizade, ouvi conselhos e sempre vi seu amor pela cidade, seu compromisso para que fizéssemos um bom governo, sempre com boas sugestões. Como brasiliense e governador de Brasília lamento a perda de Negreiros, me solidarizo com a família e me irmano em suas orações.”

Márcia Abrahão também lamentou a morte de Negreiros. Em nota, ela o classificou como “um dos brilhantes ex-alunos da UnB”. Veja o relato completo:

“Negreiros foi um dos brilhantes ex-alunos da UnB, tendo se destacado no jornalismo e na cena pública do Distrito Federal. Pude testemunhar seu compromisso com a universidade e com o fortalecimento da instituição durante a gestão 2008 – 2012 da UnB, oportunidade em que trabalhamos juntos. A morte prematura de Negreiros representa, sem dúvida, uma grande perda para o jornalismo brasileiro.”

O jornalista Ricardo Noblat, colunista da revista Veja e com quem Negreiros trabalhou na carreira, destacou o profissionalismo do colega. Veja nota:

“Negreiros sempre se destacou pelo rigor jornalístico na apuração. Era extremante cético, sempre duvidava de tudo, qualidade de um bom profissional. Tinha uma capacidade de trabalho muito grande e um senso de humor muito apurado. Era capaz de rir de si mesmo.”

 

 

COMENTE

comunicar erro à redação

Leia mais: Imprensa