Grupo ligado à Saúde desaconselha cloroquina a pacientes internados

O texto será agora analisado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS e pode ser adotado pelo governo federal

atualizado 17/05/2021 18:45

comprimidos em fundo azulHAL GATEWOOD/UNSPLASH

Um documento formulado pelo grupo técnico que aconselha o Ministério da Saúde tem orientações contra o uso da cloroquina, azitromicina, ivermectina e outros medicamentos sem eficácia científica comprovada no tratamento da Covid-19 em pacientes hospitalizados por causa da doença. A informação é do portal G1.

Chamado de “Diretrizes Brasileiras para Tratamento Hospitalar do Paciente com Covid-19”, o documento alerta para a falta de benefícios clínicos.

“Alguns medicamentos foram testados e não mostraram benefícios clínicos na população de pacientes hospitalizados, não devendo ser utilizados, sendo eles: hidroxicloroquina ou cloroquina, azitromicina, lopinavir/ritonavir, colchicina e plasma convalescente. A ivermectina e a associação de casirivimabe + imdevimab não possuem evidência que justifiquem seu uso em pacientes hospitalizados, não devendo ser utilizados nessa população”, aponta o parecer.

A análise é parte da elaboração de um protocolo único sobre como os doentes devem ser atendidos nos hospitais e também trata de intubação, oxigênio e outros pontos dos cuidados hospitalares.

O texto será agora analisado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec).

Ele será colocado em consulta pública por um período de 10 dias e depois pode vir a ser adotado como uma nova orientação do governo federal sobre o tema.

Últimas notícias