Governo lança app para atacar problemas entre consumidores e empresas

Em tempos de coronavírus, o Ministério da Justiça diz que versão mobile do Consumidor.gov ajuda a manter o isolamento social

atualizado 03/06/2020 18:05

Plataforma pública de mediação de problemas na relação entre consumidores e empresas, o portal Consumidor.gov.br ganhou uma versão para celulares com o objetivo de ampliar o serviço e ajudar os brasileiros a manter o distanciamento social em tempos de coronavírus.

O portal, cujas funções estão todas disponíveis na versão mobile para Android e Iphone, tem o objetivo de oferecer soluções mais rápidas e a um menor custo para questões de consumo, evitando a judicialização.

O consumidor com problemas pode acessar gratuitamente o serviço para ver se a empresa que não lhe entregou o produto ou serviço conforme contratado está entre as 800 que se cadastraram no site mantido pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon).

Estão lá empresas de setores como telecomunicações, bancos, varejo, indústria, transporte aéreo e planos de saúde.

Caso a empresa não esteja cadastrada, a reclamação não poderá ser feita. Essa é uma das principais diferenças entre o serviço do Consumidor.gov.br e seu “concorrente” privado, o site Reclame Aqui.

Na versão não governamental, é possível reclamar de qualquer empresa, mas não há garantia ou cobrança para que ela responda, a não ser a social em casos de cobranças que viralizam.

No caso do serviço governamental, como a empresa já se cadastrou para negociar diretamente com os consumidores, as chances de uma resposta positiva crescem, avaliam os criadores da ferramenta.

0

 

Segundo o Ministério da Justiça, que controla a Senacon, 80% das reclamações registradas no Consumidor.gov.br são solucionadas pelas empresas, que respondem às demandas dos consumidores em um prazo médio de 7 dias. Ao todo, foram feitas ao serviço 2,7 milhões de reclamações.

Últimas notícias