GO: padrasto é preso por agredir e ameaçar enteado que pediu para ver TV

Adolescente relatou chutes e socos; segundo a polícia, mãe tentou defender o marido alegando que o filho era 'custoso'

atualizado 12/05/2021 20:28

goias adolescente agredido por padrastoDivulgação/Polícia Civil de Goiás

Goiânia – Um pedido para assistir a televisão teria sido o motivo para um homem de 37 anos agredir e ameaçar de morte o enteado de 13, no município de Mineiros, no sudoeste goiano. Segundo a Polícia Civil, o adolescente relatou o ocorrido e a mãe dele teria tentado defender o marido, alegando que o filho era “custoso”.

A agressão foi descoberta, nessa terça-feira (11/5), após uma denúncia anônima ao Conselho Tutelar. Uma equipe do órgão foi até a casa do adolescente, viu o garoto machucado e o levou para a delegacia.

De acordo com a polícia, o adolescente contou que estava comendo um pão e perguntou ao padrasto se, depois que terminasse de comer, poderia assistir a televisão. Nesse momento, começou a discussão. Em depoimento, o garoto disse à corporação que foi agredido com murros, socos, tapas, chutes e contou que o homem apertou seu pescoço com o pé. Ainda segundo o jovem, o padrasto teria pegado uma faca.

Conforme Thiago Martinho, delegado responsável pelo caso, o garoto afirmou que o suspeito proferiu frases como: “dou um murro nas suas costelas e coloco o osso dentro dos pulmões para você não respirar”.

O padrasto disse que, se fosse preso, iria matá-lo. A mãe tentou acobertar a situação. A criança foi entregue ao conselho pela fato de a mãe não se mostrar protetora dele, mas do marido”, disse o delegado ao G1.

goias padrasto preso por agredir enteado
O padrasto confessou as agressões e ameaçou matar o adolescente caso fosse preso
Prisão

O padrasto, que confessou as agressões, foi preso. Segundo Martinho, o homem afirmou que “perdeu a paciência” com o enteado. De acordo com o delegado, o garoto tinha lesões no olho e nas costas.

A investigação continuará com o intuito de descobrir se a agressão foi fato isolado. Caso sejam comprovadas agressões recorrentes, a mãe do adolescente pode responder pelo crime de omissão. O padrasto responderá por lesão corporal e ameaça.

À TV Anhanguera, o Conselho Tutelar do município informou que o garoto recebeu atendimento psicológico e deve passar por exames. Segundo o órgão, não há outras denúncias contra o suspeito,

Últimas notícias