*
 

O ex-assessor especial da Presidência Gilberto Carvalho, um dos mais próximos e antigos colaboradores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, defendeu que a militância lulista faça um cordão humano em torno do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), e impeça o cumprimento da ordem de prisão contra petista.

“É para resistir, claro. Quero que o povo faça um cordão humano para impedir a prisão. É o que nos resta fazer”, disse Carvalho. Perguntado se isso não poderia piorar a situação de Lula, questionou: “Piorar o quê?”.

Lula se reúne na tarde desta sexta-feira (6/4) com advogados e dirigentes partidários em uma sala reservada no segundo andar do sindicato para decidir sobre o cumprimento da ordem de prisão expedida pelo juiz federal Sérgio Moro. Dessa reunião, sairá uma posição definitiva. Segundo um diretor do Instituto Lula, não há mais tempo hábil para o ex-presidente se entregar em Curitiba.

Um dirigente sindical que esteve com Lula afirmou que ele vai aguardar no Sindicato a chegada da PF. Não haverá resistência à prisão. O ex-presidente também manifestou preocupação com a segurança dos apoiadores que foram a São Bernardo.

‘Guardião de Temer’
A deputada Leci Brandão disse que a decisão de prender Lula é “absolutamente política e não porque o ex-presidente teria cometido algum crime”. Ela chamou o juiz Sérgio Moro de “guardião do Temer”. Disse, ainda, que a prisão é contra a nação brasileira, pois todas as pesquisas de intenção de voto mostram Lula na frente.