Freixo protocola ação para impedir Ramagem de assumir PF

O delegado se tornou amigo da família de Bolsonaro e chefiou a equipe de segurança do presidente após o atentado em Juiz de Fora (MG)

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) protocolou, nesta terça-feira (28/04), uma ação popular para impedir que o delegado Alexandre Ramagem assuma o comando da Polícia Federal.

O PSol aponta desvio de finalidade na nomeação do delegado e pede uma decisão provisória para suspender os efeitos da nomeação até o julgamento.

Em entrevista ao G1, o deputado informou que a PF tem centenas de delegados qualificados para o cargo. “Por que Bolsonaro optou por Alexandre Ramagem, um amigo íntimo da família? A escolha do presidente não é técnica, é política. Seu objetivo é controlar a PF, usando-a para perseguir adversários e impedindo que os crimes de sua família sejam investigados. O papel da PF é combater o crime, não acobertar criminosos”, enfatizou.

Ramagem se tornou amigo próximo da família de Bolsonaro e chefiou a equipe de segurança do presidente após o atentado durante a campanha eleitoral em Juiz de Fora (MG).

Ele foi nomeado o novo diretor-geral da PF, no lugar de Maurício Valeixo. A saída de Valeixo, inclusive, motivou a demissão do agora ex-ministro da Justiça Sergio Moro.

Ao deixar a pasta, na última sexta-feira (24/04), Moro acusou Bolsonaro de interferir politicamente na Polícia Federal.