Florianópolis segue com cesta básica mais cara do país; café puxa alta

Para ter todos os alimentos da cesta seria necessário um salário-mínimo de R$ 5.967,17, diferente do valor atual, que é de R$ 1.101,95

atualizado 08/12/2021 13:34

Café na xícara com grãosReprodução/ Freepik

A cesta básica de Florianópolis segue como a mais cara do Brasil. O valor de novembro teve um aumento de 1,4% em comparação com outubro, e a soma dos produtos chegou a R$ 710,53. O café lidera a lista de alimentos em alta, com 11,95% de variação no mês e 68,57% em um ano.

O levantamento é feito mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) em 17 capitais, e foi divulgado nessa terça-feira (7/12). Conforme as informações, apenas em relação ao ano passado, a cesta básica da capital catarinense ficou 15,43% mais cara.

Mas pode ser difícil bancar o básico à mesa. Segundo a DIEESE, para ter os produtos que compõem a cesta, seria necessário um salário-mínimo de R$ 5.967,17, diferente do valor do atual, que é de R$ 1.101,95.

Saiba mais no NSC Total, parceiro do Metrópoles.

Mais lidas
Últimas notícias