Famílias carentes de Goiânia começam a receber auxílio de R$ 300

A assistência contemplará famílias em vulnerabilidade social durante período de 6 meses; inscrições seguem até o dia 31

atualizado 13/03/2021 10:28

prefeito de goiania lança renda familiaDivulgação/Prefeitura de Goiânia/Fernando Leite/Jackson Rodrigues

A prefeitura de Goiânia deu início à entrega dos cartões vale-alimentação de R$ 300 para famílias em vulnerabilidade social na capital goiana. O pagamento começou na última terça-feira (9/3), 15 dias após o lançamento do programa Renda Família, previsto para durar seis meses. De acordo com o Executivo local, no primeiro dia, 957 beneficiados receberam a assistência.

O programa tem como objetivo amparar famílias mais vulneráveis pela pandemia do novo coronavírus e movimentar o comércio na capital goiana.

A expectativa é de que todos os primeiros contemplados recebam, em casa, o benefício que pode ser utilizado em 648 estabelecimentos de Goiânia, credenciados à empresa gestora dos cartões. As inscrições seguem abertas até 31 de março.

Lançado em 22 de fevereiro, o Renda Família recebeu 4.663 pedidos, de acordo com a prefeitura de Goiânia. O valor disponibilizado só pode ser utilizado para aquisição de alimentos. São proibidas compras de bebidas alcoólicas e cigarros. Também não há a possibilidade de saque do dinheiro, que será creditado a cada 30 dias, sempre no dia 8.

Para o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, o auxílio de R$ 300 para alimentação garante que as pessoas mais afetadas economicamente pela pandemia da Covid-19 tenham ajuda financeira neste momento de dificuldade. 

Segundo o secretário de Finanças de Goiânia, Alessandro Melo, a pasta analisa mais 3.440 pedidos, e a previsão é de que sejam concluídos mais mil pedidos até a próxima quarta-feira (17/3). De acordo com ele, as famílias que receberam o cartão podem realizar compras imediatamente.

“As famílias que estão recebendo o cartão podem habilitá-lo no aplicativo da Alelo e irem às compras do mês, já garantindo o arroz e o feijão de forma imediata”, ressaltou Alessandro.

De acordo com a prefeitura de Goiânia, a estimativa é de que cerca de 24 mil famílias da capital goiana estejam dentro dos critérios estabelecidos pelo programa: ter idade superior a 18 anos, morar em imóvel cujo valor venal seja de até R$ 100 mil em que todos os moradores da família estejam sem fonte de renda (emprego formal – CLT, agente público, aposentado/pensionista, com exceção ao Bolsa Família) e que a família possua um único imóvel e não tenha MEI ativo.

0
Balanço

Segundo a prefeitura de Goiânia, dos 1.223 pedidos analisados nesta primeira fase, há 250 com pendências de informações, todas comunicadas aos solicitantes e que dependem de resolução para que a apreciação tenha continuidade. Além disso, há 16 indeferimentos. A maior parte por divergência cadastral ou pelo fato da solicitação ter sido realizada por menores de 18 anos. Por lei, é preciso ter mais de 18 anos para requerer a assistência do município.

Inscrição

A solicitação para ingressar no Renda Família deve ser realizada por meio de cadastro eletrônico na plataforma digital da prefeitura de Goiânia.

Para se inscrever, o interessado deve ter em mãos o número da inscrição cadastral do imóvel e CPF de todos os residentes com mais de 16 anos. Caso a residência esteja no nome de outra pessoa, é preciso ter o contrato de aluguel ou declaração do proprietário digitalizado. Depois, basta criar usuário e senha clicando em “Cadastre-se agora mesmo”, preencher o formulário e concordar com Termo de Aceite.

O Renda Família também pode ser solicitado presencialmente, mediante agendamento. Para isso, é necessário ter todos os documentos exigidos em mãos. O interessado deve agendar no site da prefeitura data e horário para atendimento e se dirigir até uma unidade do Atende Fácil.

A intenção da gestão municipal é de que os recursos sejam utilizados, prioritariamente, com despesas de alimentação, já que o aumento do desemprego prejudicou muitas famílias.

Impacto

O programa foi formulado tendo como público-alvo 23.908 famílias. O impacto mensal estimado é de R$ 7.206.102. Em seis meses, R$ 43.236.612 (quase 10% da arrecadação de IPTU deste ano). O benefício será concedido conforme a proposta original apresentada pelo prefeito Rogério Cruz (Republicanos) O benefício terá metade do valor do auxílio emergencial do governo federal, encerrado no ano passado.

Últimas notícias