Fachin dá 5 dias para Bolsonaro explicar reunião com diplomatas

Presidente Jair Bolsonaro (PL) disparou uma série de ataques às urnas eletrônicas em apresentação a embaixadores

atualizado 21/07/2022 18:21

homem discurssando pra pessoas sentadasClauber Cleber Caetano/Planalto/PR

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, determinou, nesta quinta-feira (21/7), que o presidente Jair Bolsonaro e o partido do qual faz parte, o PL, se manifestem, em até cinco dias, sobre os ataques às urnas eletrônicas proferidos em apresentação a embaixadores.

A medida de Fachin atende a pedido do PDT. Na terça-feira (19/7), o partido solicitou exclusão do vídeo da apresentação de Bolsonaro das redes sociais.

Além de Bolsonaro, o PDT e o pré-candidato Ciro Gomes, autores da representação, deverão se manifestar no prazo determinado.

A reunião do mandatário com embaixadores de aproximadamente 40 países ocorreu na segunda-feira (18/7), no Palácio da Alvorada. Na ocasião, Bolsonaro voltou a lançar dúvidas sobre o sistema eleitoral brasileiro.

Por mais de 45 minutos, o chefe do Executivo federal também criticou o TSE e afirmou que seu governo está empenhado em apresentar uma “saída” para as eleições deste ano.

No despacho publicado nesta quinta-feira, Fachin solicitou explicações de todas as partes envolvidas no pedido de exclusão do vídeo, incluindo o presidente Jair Bolsonaro e a empresa Facebook, onde as imagens da reunião estão divulgadas.

“Da leitura da petição inicial extrai-se da causa de pedir que os fatos retratados indicam que a anduzida prática de desinformação volta-se contra a lisura e confiabilidade do processo eleitoral, marcadamente, das urnas eletrônicas”, pontuou o ministro. Fachin se manifestará sobre a exclusão das imagens apenas após a explicação das partes envolvidas no caso.

Na reunião com estrangeiros, o chefe do Palácio do Planalto repetiu argumentos já desmentidos por órgãos oficiais e reiterou que as eleições deste ano devem ser “limpas” e “transparentes”.

“Nós queremos, obviamente, estamos lutando para apresentar uma saída para isso tudo. Nós queremos confiança e transparência no sistema eleitoral brasileiro”, declarou. “Nós queremos corrigir falhas. Queremos transparência. Nós queremos democracia de verdade.”

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
Publicidade do parceiro Metrópoles 6
0

Posicionamento

Logo após o fim do evento com embaixadores, o próprio presidente do TSE, Edson Fachin, disse, sem citar Bolsonaro, que muitos “buscam, sem muito disfarce, diluir a própria República e a constitucionalidade”.

Participantes

Levantamento realizado pelo Metrópoles, divulgado nessa quarta, aponta que somente três dos 10 parceiros comerciais do Brasil mais expressivos foram à reunião.

Dos 10 maiores importadores do país, apenas os Estados Unidos, a Holanda e a Espanha confirmaram ter enviado representantes ao encontro com Bolsonaro.

Os participantes foram o encarregado de negócios norte-americano, Douglas Koneff, o embaixador espanhol em Brasília, Fernando Garcia Casas, e o conselheiro de negócios da Holanda, Remon Boef.

Mais lidas
Últimas notícias