Ex-funcionária de farmácia admite ter gravado áudio preconceituoso

Na gravação, mulher orientava equipe a não contratar pessoas gordas, feias e "viados que desmunhequem"

atualizado 28/10/2021 15:44

Farmácia São JoãoReprodução/Site oficial

A ex-funcionária da rede de farmácias São João admitiu ter gravado o áudio com teor preconceituoso que viralizou na internet. Declaração foi dada durante depoimento prestado à Polícia Civil de Imbé, no litoral do Rio Grande do Sul, nessa quarta-feira (27/10).

A mulher usou o celular funcional da empresa para enviar a mensagem. O aparelho foi entregue para a polícia e passará por perícia. A colaboradora trabalhava na rede há 13 anos.

Na mensagem, a ex-funcionária orientava a equipe a não contratar pessoas gordas, feias e “viados que desmunhequem” em processo seletivo.

“Pessoas muito tatuadas, pessoas muito gordas, vocês sabem que a empresa não gosta. Cuidem das aparências. Se pegar alguém ‘viado’, tem que ser uma pessoa alinhada que não vire a mão, não desmunheque”, disse a mulher.

“Vamos cuidar das equipes que a gente vai pegar. Vamos pegar gente com aparência boa.”

A ex-funcionária deve responder pelo crime de homofobia, que foi equiparado ao racismo. A pena prevista é de dois a cinco anos de reclusão.

No início, a rede São João negou que o áudio tivesse partido de alguém da equipe, mas após confirmação da Polícia Civil, a farmácia recuou e admitiu que a gravação era de uma funcionária da rede de farmácias.

Em nota divulgada na última semana, a empresa afirmar ter “compromisso e respeito incondicional com a diversidade e inclusão”. Além disso, diz que foi instaurada uma sindicância interna para apurar o ocorrido.

Confira a nota na íntegra:

Nota da São João sobre áudio preconceituoso
Farmácia emitiu nota no dia 22/10

Mais lidas
Últimas notícias