Embaixada avisa que trará brasileiros da Índia na próxima semana

Cerca de 180 turistas estão isolados em cidades indianas por conta do rígido confinamento imposto pelas autoridades locais

atualizado 03/04/2020 19:54

Os cerca de 180 brasileiros retidos na Índia e no Nepal, devido ao rígido confinamento imposto por conta da pandemia do coronavírus, começam a ver uma luz no fim do túnel nos esforços de voltar para casa. Nesta sexta-feira (03/04), a Embaixada do Brasil na Índia avisou, via Facebook, que o governo brasileiro autorizou o fretamento de um avião para a repatriação.

Nesta sexta, o Metrópoles mostrou o drama dos brasileiros em terras indianas e nepalesas. Turistas, eles ficaram isolados e sofrem as consequências do lockdown que pôs 1,3 bilhão de pessoas confinadas por 3 semanas: falta de lugar para ficar, desabastecimento e fome, risco de contágio, dinheiro escasso, xenofobia e, no caso das mulheres, assédio sexual.

Segundo as informações da embaixada, o voo que trará os brasileiros deverá ocorrer na semana que vem. A data ainda vai ser confirmada, uma vez que há exigências técnicas da aeronave a ser fretada e os prazos para as devidas autorizações pelo governo indiano.

A Embaixada já iniciou os contatos com as pessoas que desejam ser repatriadas. De acordo com o comunicado, todos serão informados da data do voo com pelo menos três dias de antecendência.

A aeronave deverá partir de Delhi e fazer uma escala em Mumbai.

Transporte

Tendo em vista que há brasileiros distribuidos em mais de 20 cidades do país, a Embaixada apresentará plano para o transporte para Delhi ou Mumbai via ônibus, com partidas dessas localidades.

“Esse plano de transporte também será comunicado com pelo menos três dias de antecedência. A Embaixada solicitará às autoridades indianas salvo-condutos a esses ônibus, seus passageiros e para o deslocamento aos pontos de encontro”, diz o comunicado.

“A Embaixada continua oferecendo apoio consular a todos os brasileiros, que inclui apoio humanitário, negociação com outros países pra disponibilizar vagas em voos especiais e atendimento 24 horas. Poderemos continuar a ajudá-los caso sejam desalojados, não tenham acesso a alimentos ou estejam em outra situação de emergência”, reforça a nota.

Últimas notícias