Em posse no RJ, Castro diz que se comprometerá com as contas públicas

A cerimônia de posse de Cláudio Castro ocorreu na manhã deste sábado (1º/05) na Assembleia Legislativa

atualizado 01/05/2021 14:57

Posse do governador do Rio de Janeiro Claudio CastroAline Massuca/ Metrópoles

Depois do impeachment de Wilson Wietzel, o governador em exercício Cláudio Castro  tomou posse em definitivo como chefe do Executivo do estado do Rio de Janeiro. O rito, que teve um atraso de cerca de uma hora e 15 minutos, ocorreu na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Após ser empossado, Castro fez um breve discurso. O novo governador pediu por um minuto de silêncio em homenagem às vítimas da Covid-19. O discurso então teve início com um agradecimento à família.

Ele também afirmou que acredita na ciência para combater a pandemia. Aliás, sobre a Covid-19, Castro também apontou que o Rio sofre com uma terceira onda. Por fim, destacou ainda o planejamento econômico e de segurança pública.

“Não há futuro sem uma gestão austera, comprometida com as contas públicas. Continuaremos com a recuperação fiscal, vamos melhorar os serviços públicos, devolvendo a confiança a quem quer investir no estado. Seremos um governo de diálogo que vai olhar dia e noite por quem precisa”, disse o governador.

Castro também falou em reconstrução.

“É chegada a hora de olharmos para a frente. O momento é de reconstrução. A população exige um governo sólido, sustentável e de diálogo. Seguirei sendo um homem de entendimento. E mais uma vez quero fazer um pacto pela recuperação”, discursou Castro.

Veja fotos da posse:

0
Aproximação da Alerj

Houve também um momento de aproximação entre Castro e a Alerj, na pessoa do presidente da Casa, o petista André Ceciliano. Durante a semana, o deputado estadual chegou a dizer que o governador em exercício estava ameaçando parlamentares para manterem o leilão da Cedae.

“A semana que passou, senhor presidente, marcada por divergências, hoje faz parte do passado. E a cada passagem, cada um de nós sai com um aprendizado. É assim que eu encaro o mundo, sempre olhando para frente”, apontou Castro.

A posse marca o último ato do rito de afastamento de Wilson Witzel, que deixou o cargo no dia 28 de agosto de 2020, por determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em investigação sobre desvios em contratos da saúde do estado. Desde então, Castro, que também é citado na investigação, é o governador interino do Rio.

Ceciliano aceitou o recado, mas também deixou avisos.

“Sua posse confere a legitimidade para tomar as ações necessárias para o restabelecimento do estado do Rio de Janeiro. O Rio foi o estado que menos gerou vagas de emprego no último ano e que em abril mais teve mortes por Covid-19 no país. Com relação à segurança, o leilão da Cedae não teve ofertas em um bloco porque empresas alegaram violência na região”, pontuou o presidente da Alerj.

Confira vídeo da posse:

Últimas notícias