Vídeo: em Ouro Preto, policial pisoteia tapete em homenagem a Marielle

As montagens com pó de serra colorido são uma tradição da Páscoa na histórica cidade mineira

Reprodução/TwitterReprodução/Twitter

atualizado 21/04/2019 22:45

Um vídeo no qual um policial da Guarda Civil de Ouro Preto aparece pisoteando um tapete de serragem em homenagem à vereadora Marielle Franco, vítima de um atentado no ano passado no Rio de Janeiro, causou indignação nas redes sociais neste domingo (21/04/19) de Páscoa.

Os tapetes são tradicionais na cidade histórica mineira nas comemorações da Páscoa. Neste ano, um deles homenageava a vereadora e o seu motorista, Anderson Gomes, também morto no atentado.

Assista ao vídeo:

Todo ano, os tapetes são confeccionados de madrugada e colorem as ruas no encerramento da Semana Santa.

Enquanto os policiais aparecem destruindo as imagens, pessoas questionam a atitude e gritam “Marielle Vive”.

Episódio parecido ocorreu no dia 3 de abril de 2018, quando um agente da Guarda Municipal também foi filmado desmanchando os tapetes com os pés. Na época, a Guarda Civil alegou que cumpria uma orientação da prefeitura e da paróquia para evitar manifestações políticas.

Homenagem
Enquanto isso, em Paris, a comissão de denominação de ruas da prefeitura de Paris determinou que um jardim da cidade receba o nome da vereadora, O local escolhido é uma praça suspensa no terraço de um hotel em construção junto à Gare de l’Est, uma das principais estações de trem da cidade.

Anne Hidalgo, prefeita da capital francesa, expressou à ONG RED Br – Rede Europeia pela Democracia no Brasil, entidade à frente da iniciativa – seu desejo de nomear um local da cidade em homenagem a Marielle em fevereiro deste ano.

Em 1º de abril, o Conselho de Paris votou a favor da proposta. Falta agora a ratificação pelo conselho do 10° distrito, bairro onde fica o futuro jardim, e depois pelo Conselho de Paris. A decisão final será tomada no dia 11 de junho.

A inauguração do Jardim Marielle Franco deve ocorrer em outubro, de acordo com a historiadora Juliette Dumont, que faz parte da RED.Br.

Marielle Franco, vereadora do PSOL, e o motorista do carro em que ela estava, Anderson Gomes, foram executados em 14 de março de 2018, no bairro da Lapa, centro do Rio de Janeiro. Desde então, a prefeita de Paris publica posts nas redes sociais em homenagem a Marielle e cobra a resolução do caso.

(Com informações da Agência Estado)

Últimas notícias