*
 

Após duas chacinas registradas no início do ano, moradores de Fortaleza, capital do Ceará, viveram uma madrugada de terror neste domingo (25/3): em 24 horas, integrantes de facções criminosas realizaram ataques a três prédios públicos, duas torres de telefonia e sete ônibus. As informações são do jornal O Povo.

Segundo a imprensa local, as sedes da Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus), da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) e da 2ª Companhia do 8º Batalhão da Polícia Militar foram atacadas. Pelo menos sete ônibus e duas torres de telefonia sofreram tentativas de incêndio.

A publicação afirma que a sequência de ataques seria uma retaliação ao projeto de lei 470/18, aprovado pelo Senado, que determina a instalação de aparelhos bloqueadores de sinal de celular em presídios de todo o país. Na última quarta-feira (21), o plenário da Câmara dos Deputados autorizou a tramitação do texto em regime de urgência na Casa.

Com a onda de violência, autoridades do governo cearense teriam decretado estado de “alerta máximo”. Medidas de segurança foram reforçadas em presídios. Durante a madrugada, viaturas da PM circularam em comboios e parte da frota de ônibus foi recolhida. O restante dos coletivos continuou circulando, mas sob escolta da polícia e da Guarda Municipal.

Comando Vermelho
Segundo apurou o jornal O Povo, a ordem para os ataques teria partido de dentro da Casa de Privação Provisória de Liberdade I (CPPL I), presídio localizado na região metropolitana de Fortaleza controlado pela facção Comando Vermelho (CV). Também seriam membros do CV os três jovens mortos em confronto com a Polícia Militar, durante ataque à Secretaria da Justiça neste sábado (24). Com a morte dos criminosos, a retaliação ao projeto de lei teria ganho componentes de vingança.

Prisões
Em nota, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que seis suspeitos de atear fogo em coletivos foram presos. Os criminosos portavam galões de gasolina e estavam nas proximidades dos locais que sofreram as incursões violentas. “A SSPDS determinou o reforço no policiamento, inclusive com apoio de helicópteros da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer)”, informou. A assessoria do órgão afirmou que os números estão sendo atualizados e que representantes da secretaria não se pronunciarão neste momento.

Interior
Em Sobral, no norte do Ceará, foi registrado um ataque com bombas caseiras à Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) do município, que é um dos maiores do estado. Segundo o coordenador do Ciops de Sobral, Major Dias, por volta de 2h45 de hoje (25), três pessoas esperaram o momento em que os seguranças do local fizeram uma ronda para arremessar, pelos muros do fundo do prédio, espécie de coquetéis molotov.

Até agora, os suspeitos não foram localizados. “Nós já levamos todo o material que foi encontrado, como as garrafas e chinelos, para a delegacia, para que a situação seja investigada. Internamente também vamos fazer a nossa investigação”, disse o major.

Em Cascavel, no litoral leste, carros que estavam no terreno do Departamento Municipal de Trânsito e de Transportes (Demutran) foram incendiados. (Com informações da Agência Brasil)