Em 1ª privatização portuária, Codesa é leiloada por R$ 106 milhões

Estatal responsável por dois portos do Espírito Santo foi arrematada pelo fundo de investimentos Shelf 119 Multiestratégia

atualizado 30/03/2022 19:46

Porto de Santos - Navio containerMichael Melo/Metrópoles

Espírito Santo – A Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa) foi leiloada por R$ 106 milhões nesta quarta-feira (30/3). O fundo de investimentos FIP Shelf 119 – Multiestratégia a arrematou e agora será responsável pela gestão dos portos pelos próximos 35 anos. 

A venda da companhia marca a primeira desestatização portuária da história do Brasil. Com isso, a Codesa passa a ser uma empresa privada após o pagamento de R$ 326 milhões por suas ações. Ela é responsável pela administração dos portos de Vitória e Barra do Riacho e terá a fiscalização da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

A previsão é que o fundo invista R$ 850 milhões, e, desse montante, R$ 335 milhões deverão ser aplicados na ampliação nos dois portos. Agora, o arrendatário deverá se comprometer com os custos da recuperação estrutural do complexo portuário, estimado em R$ 55 milhões; na recuperação dos berços dos terminais Peiú e de São Torquato; e na modernização do canal de acesso. 

Com os investimentos, a previsão é que o Porto de Vitória dobre a movimentação de cargas que atualmente é de 7 milhões de toneladas por ano. Para o porto de Barra do Riacho, a expectativa é de ampliar a área de exploração que atualmente é de 522 mil metros de um total de 860 mil metros. 

Segundo o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, o investimento nos dois portos permitirá um avanço na infraestrutura de transportes no país. “Na prática, é desenvolvimento, empregos e aprimoramento de toda a cadeia logística brasileira”, afirmou.

Mais lidas
Últimas notícias