Lula e Bolsonaro são corruptos? Saiba o que pensam os eleitores do DF, segundo pesquisa Metrópoles/Ideia

No DF, 46,1% dos entrevistados consideram Lula corrupto. Percentual de Bolsonaro é de 32,6%

atualizado 24/06/2022 16:12

Lula e Bolsonaro em arte com fundo vermelho e azulArte/Metrópoles

Os eleitores do Distrito Federal associam mais a palavra corrupção ao nome de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) do que ao presidente Jair Messias Bolsonaro (PL), segundo pesquisa exclusiva Metrópoles/Ideia, divulgada nesta sexta-feira (24/6).

Quando questionados sobre o grau de concordância com a frase “Você acha que Lula é corrupto?”, 46,1% dos entrevistados disseram que sim. Quando a pergunta se referia a Bolsonaro, 32,6% responderam afirmativamente.

Em contrapartida, 34,8% não acreditam que Bolsonaro seja corrupto. O percentual de Lula nesse quesito é de 28,8%.

Confira:

Cenário polarizado

Para o advogado e professor da Universidade Católica de Brasília (UCB) Caio Morau, os percentuais confirmam o cenário polarizado e de pouca confiança do eleitor nos candidatos. “Quase metade diz que Lula é corrupto. Um terço acredita que Bolsonaro é corrupto. Apesar da polarização entre os dois nomes, Bolsonaro tem vantagem entre os eleitores do DF”, acredita o especialista.

Para ele, somente o quesito “corrupção” não reflete diretamente as intenções de voto. “É um dos fatores que pode colocar Bolsonaro na frente e aumentar a rejeição a Lula”, pondera.

Já o professor emérito da Universidade de Brasília (UnB) e cientista político David Fleischer acredita que o “efeito Lava Jato” ainda é latente em Brasília e impacta diretamente a opinião do eleitor.

“Lula ainda é lembrado pela Lava Jato de Sergio Moro, e essa percepção migra para a intenção de voto”, considera o cientista político.

Presidente do Instituto Ideia e professor de estatística da Universidade George Washington, Maurício Moura pontua que essa percepção influencia diretamente na rejeição dos candidatos. “Quem rejeita, acha corrupto. E essa é a eleição da batalha de rejeições”, analisou o especialista.

Quando se trata de rejeição, Lula está à frente. No DF, 41,8% dos entrevistados não votariam no pré-candidato à Presidência da República pelo Partido dos Trabalhadores. Bolsonaro tem 39,9% de rejeição, segundo pesquisa Metrópoles/Ideia divulgada nessa quinta.

Pesquisa

Metrópoles divulgará uma série de pesquisas eleitorais encomendadas pelo portal ao Instituto Ideia. Os levantamentos para aferir a preferência do eleitorado brasiliense serão publicados até a véspera do segundo turno.

Foram entrevistadas 1,2 mil pessoas na faixa etária de 16 anos ou mais, com Título de Eleitor, em todas as regiões administrativas do Distrito Federal, entre os dias 16 e 21 de junho.

A pesquisa quantitativa foi realizada com aplicação de questionário estruturado, por meio de inquérito telefônico, com plano amostral e ponderação quanto a sexo, idade, grau de instrução e nível econômico do entrevistado.

A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, considerando um nível de confiança de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob os números DF-04171/2022 e BR-09578/2022.

Mais lidas
Últimas notícias