Câmara: Quaest projeta diminuição da direita e crescimento da esquerda

Segundo instituto, partidos de esquerda devem eleger mais representantes que em eleições anteriores, enquanto Centrão repetirá desempenho

atualizado 01/10/2022 15:08

Plenário da Câmara dos Deputados- Metrópoles Hugo Barreto/Metrópoles

Projeção da Quaest divulgada neste sábado (1º/10) aponta que as bancadas de direita e conservadoras da Câmara dos Deputados devem encolher, enquanto partidos de esquerda devem conseguir eleger mais representantes nas eleições.

Segundo o levantamento, a estimativa é de que o número de parlamentares de direita eleitos deve cair para 245. Atualmente, a Casa concentra 253 deputados do espectro político. Este número, contudo, pode variar entre 215 e 275, considerando a margem de erro.

Em contrapartida, há a possibilidade de os partidos de esquerda elegerem mais representantes. O instituto projeta um crescimento de 121 para 129, sendo 108 e 150 os dois extremos possíveis.

A Quaest também mediu que o Centrão deve manter o número de representantes atual, com 139 deputados eleitos (mínimo de 113 parlamentares e máximo de 160, considerando a margem).

PL deve ter maior bancada

A Quaest aponta que, entre os partidos, o PL, do presidente Jair Bolsonaro, será a maior bancada da Casa, composta por, no mínimo, 74 deputados e, no máximo 82 parlamentares.

Em termos de representação, o partido será seguido de perto pela federação formada por PT, PCdoB e PV. O trio deverá ter entre 67 e 75 deputados eleitos neste pleito. O União Brasil completa a lista, com uma estimativa de eleitos entre 48 e 58 deputados.

O destaque negativo fica para a federação entre PSDB e Cidadania, aqueles que correm o risco de perder mais deputados.

Presidente, governador e senador: veja quem são os candidatos nas Eleições 2022

Metodologia

Para chegar aos números, o instituto considerou o Índice de Popularidade Digital (IDP) dos 24,5 mil candidatos pelo país. A partir dos dados, a Quaest calculou as estimativas de voto para cada candidato utilizando algoritmo próprio.

Em seguida, os pesquisadores somaram os votos esperados que foram estimados a partir do IDP por partido e estado e, na sequência, dividiram a votação das listas partidárias pelo quociente eleitoral de cada unidade da federação e obtivemos o número estimado de cadeiras que cada partido deve conquistar.

Por fim, foi feito o cálculo do valor médio de cadeiras por partido. O nível de confiabilidade do levantamento é de 95%.

Mais lidas
Últimas notícias