Número de eleitores presos vai de 37 a 53 em duas horas, segundo Justiça

No boletim anterior, quantidade de apreensões de materiais de campanha, dinheiro e veículos já era 13 mil, de acordo com o ministério

atualizado 29/11/2020 15:39

Centro de divulgação das eleições 2020 no Tribunal Superior EleitoraHugo Barreto/Metrópoles

O Ministério da Justiça e Segurança Pública divulgou o quarto e o quinto balanços sobre as operações no segundo turno das eleições municipais de 2020. Desde às 7h de domingo (29/11), foram registrados 254 ocorrências, assim como 17 mil apreensões, 53 prisões e 22 procedimentos da Polícia Judiciária.

Na comparação entre os boletins de 13h e 15h, houve mais dois crimes comuns relacionados às eleições, 44 crimes eleitorais, um incidente de segurança pública e defesa social no entorno dos locais de votação. O número de indicações de desinformação nas eleições (TSE e PF) permaneceu o mesmo, 27.

Os representantes dos estados e de outros órgãos do governo federal terão acesso às ocorrências registradas durante o andamento das eleições nos 57 municípios com segundo turno. As informações são fornecidas pelo Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN), em Brasília.

Justificativas

Já de acordo com o TSE, até as 14h45 deste domingo (29/11), 604.098 eleitores justificaram ausência por meio do e-Título. De acordo com o órgão, o aplicativo está funcionado sem problemas.

A justificativa para não votar só é permitida pelo e-Título ou de forma presencial em qualquer seção eleitoral. O site de justificativa não funciona no dia da votação, somente a partir desta segunda (30). É possível enviar a explicação até 60 dias pelo aplicativo, site ou presencialmente em cartório. É preciso anexar documento que comprove o motivo da ausência.

Últimas notícias