*
 

Dirigentes de diversos partidos da base aliada do governo Michel Temer prestigiaram, nesta quinta-feira (8/3), a convenção nacional do Democratas (DEM), na qual a legenda lançou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (RJ), como pré-candidato à Presidência da República. Estiveram presentes lideranças do MDB, PSDB, PP, PR, Solidariedade, PRB, PV, PSC, Avante e PHS. Algumas lideranças sinalizaram apoio a Maia.

Presidente do Solidariedade, o deputado federal Paulo Pereira da Silva (SP), o Paulinho da Força, foi um dos que fez discurso mais direto de apoio ao parlamentar fluminense durante o evento. “Temos uma esperança muito grande em você. Estamos aqui, um grupo de partidos, meio sem rumo, sem ter o que fazer. Acho que a única pessoa que pode unir esse grupo é Rodrigo Maia”, disse.

Já o líder do PRB, o ex-ministro do governo de Michel Temer, Marcos Pereira, afirmou que seu partido está “junto” com Maia. “O Brasil precisa de pessoas jovens, como Rodrigo Maia e ACM Neto”, afirmou, em referência, respectivamente, ao presidente da Câmara e ao prefeito de Salvador, que foi eleito novo presidente nacional do DEM nesta quinta-feira.

O senador Ciro Nogueira (PI), presidente do PP, afirmou que a sigla tem “grande esperança” em Maia e estará ao lado dele nas viagens que o deputado pretende fazer, pelo país, para se tornar mais conhecido. “Nós progressistas temos uma grande esperança em você. Sei que vai percorrer o Brasil, e os progressistas estarão ao seu lado. Vá em frente, conte com os progressistas”, discursou.

Partido alvo de críticas por parte de Maia, o PSDB prestigiou a convenção com lideranças como o secretário-geral do partido, deputado Marcus Pestana (MG); o líder da legenda na Câmara, Nilson Leitão (MT); além dos ex-ministros de Temer e atuais deputados Antônio Imbassahy (BA) e Bruno Araújo (PE).

A legenda tem como pré-candidato ao Planalto o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que foi criticado por Maia na quarta-feira (7/3). De acordo com o ex-presidente do DEM, senador José Agripino (RN), Alckmin ligou para justificar que não compareceria à convenção, pois está em viagem oficial aos Estados Unidos.

Do MDB, estiveram presentes o presidente, senador Romero Jucá (RR); o 1º vice-presidente da Câmara, deputado Fábio Ramalho (MG), e o deputado Lúcio Vieira Lima (BA), irmão do ex-ministro Geddel Vieira Lima, que está preso no âmbito da Operação Lava Jato. Partido de Temer, o MDB também pretende lançar candidatura própria. Hoje, dois nomes são cogitados: o do próprio Temer e o do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

De ministros do governo Temer, estão presentes apenas o titular da Educação, Mendonça Filho, que é do DEM, e o das Cidades, Alexandre Baldy, que deve se filiar ao PP e é um dos principais aliados de Rodrigo Maia.