Trabalhador ganhará mais com MP que prevê cortes, diz secretário

Bruno Bianco, secretário de Previdência e Trabalho, disse que o empregado vai ganhar mais e trabalhar menos

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, destacou que, com o Programa Emergencial de Emprego, os funcionários vão ganhar mais e trabalhar menos, além de poder preservar a saúde.

O programa foi criado pelo Ministério da Economia em uma tentativa de reduzir as demissões em meio à pandemia do novo coronavírus.

“De fato, a inteligência do programa é reduzir salários com o benefício do governo”, disse Bianco, em conversa com jornalistas da Globo News, transmitida ao vivo nesta quinta-feira (02/04).

O secretário insistiu na ideia de que o foco do programa não é a redução salarial, mas sim a “criação do benefício que vai fazer frente à redução salarial”.

De acordo com a Medida Provisória (MP) que estabelece o Programa Emergencial de Emprego, fica permitida a redução da jornada de trabalho em 25%, 50% ou 70%. O corte, porém, pode chegar a 100%.

Segundo o governo federal, a medida engloba 24,5 milhões de trabalhadores e diminui a projeção da equipe econômica, de 12 milhões de demissões.

Sobre as grandes empresas, que teriam capital suficiente para passar pela crise causada pelo novo coronavírus, o secretário afirmou que o programa vai desestimular as demissões.

“Quem lançar mão das reduções terá a estabilidade do empregado. A empresa vai segurar o empregado pelo mesmo período. E vai ter uma multa quando demite”, comentou.