*
 

A Caixa Econômica Federal divulgou nesta segunda-feira (3/12) que, até o dia 30 de novembro, 1.685 empregados do banco se inscreveram no Programa de Desligamento de Empregado (PDE), lançado no dia 26 do mesmo mês. A estimativa inicial de economia gerada com o programa é de aproximadamente R$ 314 milhões ao ano.

A iniciativa tem por objetivo dar continuidade aos ajustes de estrutura da instituição “diante do cenário competitivo e econômico atual, buscando mais eficiência”, conforme explicou a Caixa. O limite máximo de desligamentos para esta etapa estava fixado em 1,6 mil empregados.

Segundo a instituição, as últimas edições dos planos de desligamento voluntários, realizados em 2017 e 2018, tiveram a adesão de 8,6 mil empregados e economizou mais de R$ 1,69 bilhões por ano. O índice de eficiência operacional da Caixa no 3º trimestre de 2018 alcançou o patamar de 45,8%, melhor marca da instituição.

Na atual etapa, estavam aptos ao PDE os empregados aposentados pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) até a data de desligamento, sem exigência de tempo mínimo de efetivo exercício na Caixa ou aptos a se aposentarem até o 31 de dezembro deste ano, também sem exigência de tempo.

Poderiam ainda aderir ao PDE empregados com no mínimo 15 anos de trabalho na instituição, com contrato de trabalho vigente até a data de desligamento; ou ainda com adicional de incorporação de função de confiança/cargo em comissão/função gratificada, também sem exigência de tempo na Caixa.

Segundo o banco, o desligamento ocorrerá por meio de rescisão do contrato de trabalho a pedido, dispensando-se o cumprimento de aviso prévio. (Com informações da Caixa Econômica Federal)