*
 

A Petrobras elevará o preço da gasolina nas refinarias em 0,1% e o diesel em 2%. Os preços vão valer a partir desta sexta-feira (21/7).

A nova política de revisão de preços foi divulgada pela petroleira em 30 de junho. Com o novo modelo, a Petrobras espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores.

Em vez de esperar um mês para ajustar seus preços, a Petrobras agora avalia todas as condições do mercado para se adaptar, o que pode ocorrer diariamente. Além da concorrência, na decisão de revisão de preços, pesam as informações sobre o câmbio e as cotações internacionais.

Distrito Federal
A nova política de revisão de preços adotada pela Petrobras é um alívio para o bolso do brasiliense. Desde 1º de julho, a estatal passou a reajustar constantemente os valores da gasolina e do diesel repassados pelas refinarias a postos em todo o país. No Distrito Federal, a redução tem feito diferença para os consumidores: nesta quarta-feira (19/7), a reportagem do Metrópoles encontrou o litro da gasolina comum sendo vendido até por R$ 2,94.

O consumidor deve aproveitar, já que o governo federal anuncia nesta quinta (20) o aumento do imposto sobre combustíveis. A expectativa é que eleve em até R$ 0,10 o preço do litro da gasolina.

O valor mais baixo foi localizado na QI 7 do Setor Industrial do Gama. No entanto, os consumidores já têm conseguido achar gasolina abaixo dos R$ 3 em outras localidades, como Taguatinga, Ceilândia, Asa Sul e Asa Norte. Na maioria dos casos, os menores preços são válidos somente para pagamentos em dinheiro ou com cartões de débito.

Confira no mapa abaixo os preços de combustíveis apurados pelo Metrópoles em diversas regiões do Distrito Federal:

Os valores já são bem menores que os registrados em levantamento feito pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) na última semana. De acordo com a ANP, entre 9 e 15 de julho, o preço médio da gasolina no DF era de R$ 3,304 e o valor mais baixo encontrado no período foi de R$ 3,079. Os números, inclusive, apontam o Distrito Federal como a unidade federativa com a terceira gasolina mais barata do país, atrás apenas de São Paulo e Amazonas.

A redução do peso do combustível no orçamento dos brasilienses é fruto de mudanças frequentes nos preços praticados pela Petrobras nas refinarias. Até o mês de junho, a revisão dos valores ocorria, geralmente, uma vez por mês. Com a nova política, no entanto, essas mudanças passaram a ser feitas quase diariamente.

Desde o início do mês, os preços de venda adotados pela estatal passaram por 11 alterações, entre aumentos e reduções. No balanço, a gasolina ficou 12,3% mais barata que no mês passado. E uma nova diminuição, de 0,5%, já está prevista para esta quinta-feira (20/7). O consumidor, no entanto, deve aproveitar os preços mais baixos enquanto pode. Também na quinta, o governo federal pretende anunciar um aumento no PIS e no Cofins, impostos que incidem sobre a gasolina e o diesel.