Onyx afirma que vai estender auxílio emergencial para mães adolescentes

Projeto de Lei que amplia a renda básica para mais de 70 categorias foi aprovado no Senado, mas aguarda sanção de Bolsonaro

atualizado 08/05/2020 10:33

Marcos Corrêa/PR

O ministro da Cidadania Onyx Lorenzoni manifestou apoio à extensão do auxílio emergencial de R$ 600 a mães adolescentes e pais que tomam conta sozinhos dos filhos.

Aprovado no Senado no último dia 22, o projeto de lei (PL) 873/2020 aguarda sanção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Em relação ao PL 873, 100% da nota técnica aqui do [Ministério da] Cidadania é concordando com [o pagamento] a mãe menor de idade e pai chefe de família monoparental”, disse Onyx, nessa quinta-feira (07/05).

“Vai haver sanção. Esses dois aperfeiçoamentos garantidamente estarão sancionados pelo presidente, no que depende aqui da nossa decisão”, complementou o ministro.

Bolsonaro tem até o dia 14 de maio para sancionar ou vetar a proposta. O chefe do Executivo é cobrado por senadores e pela população, contudo, por causa da demora.

0

“O presidente não foi bem claro no que vai fazer, se vai sancionar, ou vetar em parte. A demora dele só prejudica os mais vulneráveis e mais pobres”, disse o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor da proposta, em conversa com o Metrópoles.

Além de mães adolescentes e pais chefes de família, o projeto estende o auxílio emergencial de R$ 600 para mais de 70 categorias. Em nota técnica, o Ministério da Economia estimou que o impacto para essas alterações é em torno de R$ 10 bilhões. (Com informações da Agência Senado)

Últimas notícias