No mesmo cargo, homens brancos chegam a ganhar até 169% a mais que mulheres negras

Levantamento mostra que mesmo com ambos possuindo mesmo nível de formação, homens brancos têm média salarial muito superior

atualizado 15/09/2020 14:50

O benefício emergencial prevê a suspensão do contrato de trabalho por até dois meses e a redução de jornada por até três mesesDaniel Ferreira/Metrópoles

Um levantamento realizado pelo Insper aponta que, a depender da profissão, um homem branco chega a receber mais que o dobro do que a mulher negra para realizar o mesmo trabalho. Assim, mesmo em casos de funções que exigem diploma de ensino superior, ainda não há uma inserção justa das mulheres negras no mercado de trabalho no Brasil. As informações são do G1.

O levantamento apurou o salário por raça e gênero e fez o detalhamento para cinco profissões: engenheiros e arquitetos, médicos, professores, administradores e cientistas sociais. Em todas elas, constatou-se que as mulheres negras recebem menos que os homens, sejam brancos ou negros, e que as mulheres brancas.

Beatriz Ribeiro, Bruno Komatsu e Naercio Menezes Filho foram os pesquisadores do Insper que realizaram o estudo. Eles utilizaram como base os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre 2016 e 2018.

A medicina apresentou um dos maiores abismos salariais. Entre os formados em universidades públicas, as mulheres negras têm um salário médio de R$ 6.370,30, enquanto os homens brancos recebem R$ 15.055,84. Já no grupo de médicos que cursou faculdades particulares, a remuneração é de R$ 3.723,49 e R$ 8.638,78, respectivamente.

Em ciências sociais, a diferença é também muito grande. Um homem branco que se formou em universidade pública recebe R$ 8.814,o5 enquanto uma mulher negra com a mesma formação tem salário de R$ 4.141,69.

“Mesmo entre os que estão na mesma profissão, sempre há um diferencial alto de salário em função da cor ou do sexo, em que os homens brancos estão sempre ganhando mais” afirma Naercio Menezes Filho ao G1.

Média salarial

Levando em conta todas as profissões, a pesquisa revela que, no Brasil, uma mulher negra com diploma universitário de instituição pública recebe em média R$ 3.047,51, enquanto as que cursaram universidade privadas têm remuneração média de R$ 2.902,55.

Já no topo da lista de remuneração, homens brancos formados em instituições públicas recebem em média R$ 7.891,78 e os que possuem diploma em universidades privadas tem salário médio de R$ 6.628.74. Ou seja, existe uma diferença em relação às mulheres negras de 159% e 128%, respectivamente.

 

Últimas notícias