Greve continua e petroleiros vão recorrer de decisão do TST

Segundo a FUP, que coordena o movimento, 21 mil trabalhadores se mobilizam nesta terça-feira, o 18º dia de greve

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) orientou os funcionário da Petrobras a manter a greve, apesar de o Tribunal Superior do Trabalho (TST) considerar, nessa segunda-feira (17/02/2020), o movimento como “ilegal” e “abusivo”.

A greve entra nesta terça-feira (18/02/2020) em seu 18º dia, com 21 mil trabalhadores mobilizados em mais de 120 unidades da estatal, diz a FUP.

A entidade informou ainda, em nota, que vai recorrer da decisão do TST, proferida pelo ministro Ives Gandra.

O tribunal autorizou a Petrobras a convocar os empregados para retorno imediato ao trabalho. Para o TST, as entidades sindicais vêm desrespeitando ostensivamente a lei e as ordens judiciais.

Diretor da FUP, Deyvid Bacelar destacou que a decisão do ministro do TST foi monocrática e que o movimento, ao contrário do proferido, é legítimo e legal.

“O mínimo que se esperava era que o ministro Ives Gandra respeitasse a decisão anterior de seus pares na SDC [Seção de Dissídio Coletivo], o que não ocorreu”, contesta o diretor da FUP, Deyvid Bacelar.

Nessa segunda-feira, a Petrobras informou à imprensa que notificou as entidades sindicais da decisão e aguarda que todos os empregados retornem às atribuições imediatamente.