Dólar e Ibovespa recuam de olho em destaques da Previdência

Bolsa fecha em baixa após cinco pregões em alta e a moeda norte-americana tem a quarta queda seguida

EBCEBC

atualizado 11/07/2019 18:59

O mercado de câmbio teve um dia volátil nesta quinta-feira (11/07/2019), mas acabou fechando com a quarta queda consecutiva, ainda influenciado pelo exterior e a perspectiva positiva com a reforma da Previdência, apesar da demora para a votação dos destaques na Câmara. A moeda norte-americana caiu ante a maioria dos emergentes, com os agentes apostando em corte mais forte de juros nos Estados Unidos. Aqui, o dólar à vista fechou em baixa de 0,15%, a R$ 3,7510.

O dólar acumula queda de 2,4% este mês e o real é a moeda que mais se valoriza em julho, em uma lista de 34 divisas. Mesmo com as quedas recentes, estrategistas de moedas veem tendência de a baixa do dólar continuar. O Morgan Stanley vê a moeda recuando para R$ 3,65 com a aprovação da Previdência

O Ibovespa encerrou a sessão desta quinta em queda, interrompendo uma sequência de cinco pregões de alta que levou o índice a subir quase quatro mil pontos.

Descolado do índice Dow Jones, o principal termômetro do mercado acionário dos EUA, que renovou nova máxima histórica, o Ibovespa trabalhou em terreno negativo a maior parte do dia e encerrou o pregão em queda de 0,63%, aos 105.146,44 pontos, com volume negociado de R$ 16,79 bilhões.

Cautela
Após a aprovação do texto-base da reforma da Previdência no plenário da Câmara por votação expressiva, investidores adotaram uma postura cautelosa e optaram por embolsar ganhos diante do adiamento para apreciação dos destaques. Marcada inicialmente para às 9 horas, a sessão da Câmara foi adiada por falta de quórum, o que acendeu o sinal amarelo.

“A bolsa havia subido com força na segunda e na quarta-feira. Com esse atraso nos destaques, muita gente aproveitou para realizar lucros”, diz Luiz Roberto Monteiro, operador da mesa institucional da Renascença, ressaltando que o mercado monitora o grau de desidratação da reforma com a votação dos destaques.

Últimas notícias