Brasil pode arrecadar R$ 5,58 bilhões com tributação de multinacionais

Caso a alíquota fosse elevada de 15% para 25%, o ganho para o Brasil subiria para € 7,4 bilhões (quase R$ 56 bilhões)

atualizado 14/06/2021 11:44

Jason Leung - Unsplash

O Observatório da Tributação da União Europeia divulgou um cálculo referente à tributação de empresas multinacionais. O acordo histórico do G-7 (grupo das sete maiores economias) para taxar essas empresas com alíquota mínima de 15% pode ajudar no cenário da guerra fiscal promovida pela pandemia da Covid-19. De acordo com o cálculo, isso pode trazer uma arrecadação de € 900 milhões (R$ 5,58 bilhões) ao ano para o Brasil.

Segundo o jornal Estadão, o estudo considera vários cenários para a implementação do imposto global. Para os Estados Unidos, por exemplo, a simulação  estima uma arrecadação de € 40,7 bilhões. Para a União Europeia, de € 48,3 bilhões. Caso a alíquota fosse elevada de 15% para 25%, o ganho para o Brasil subiria para € 7,4 bilhões (quase R$ 56 bilhões).

O governo brasileiro ainda não se manifestou sobre o acordo, mas deve dar sua opinião no encontro do G-20 (20 maiores economias do mundo).

Na tentativa de evitar uma “erosão da base tributável”, quando empresas migram para países com baixas tributações, foi feita na última semana uma reunião técnica com representantes da Receita Federal. O encontro foi articulado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE), que trabalha com o G-20 para buscar soluções nesse sentido.

O governo de Donald Trump (Partido Republicano) era contra a tributação, mas os Estados Unidos mudaram de posição com a chegada de Joe Biden (Partido Democrata) à Casa Branca.

Últimas notícias