ANS dá à Cassi um mês para ter plano de recuperação de finanças

Funcionários do Banco do Brasil aprovaram nessa quinta-feira a mudança no estatuto que objetiva salvar a operadora de planos de saúde

atualizado 29/11/2019 21:21

Michael Melo/Metrópoles

Trinta dias: este é o prazo que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) deu para a operadora de planos de saúde Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi) apresentar todo um plano para tirar suas finanças do vermelho e voltar a atuar regularmente.

A determinação da agência veio um dia depois que funcionários do Banco do Brasil aprovaram a mudança no estatuto cujo objetivo salvar a operadora – além de resolver as pendências com a própria ANS.

Prejuízo
A Cassi opera com prejuízo há sete anos e deve R$ 900 milhões. As novas regras, que incluem a cobrança por dependentes, foram aprovadas por 67,4% dos 121.590 funcionários que votaram em uma consulta que começou no último dia 18 de novembro e terminou nesta quinta. Votaram não, 39.608 associados. Brancos somaram 1.161 e nulos, 1.516.

De acordo com a operadora, o primeiro débito da nova contribuição será cobrado dos associados em 20 de dezembro.

A Cassi é uma das maiores operadoras de autogestão em saúde do Brasil, com 683.737 mil participantes.

Últimas notícias